Cuiabá 19/08/2019
Busca:  
 Home
 Últimas Notícias
 Cidades
 Política
 Esporte
 Polícia
 Meio Ambiente
 Turismo
 Agronegócio
 Mundo
 Artigos
 Aúdio e Video
 Galeria de Fotos
 Quem Somos
 Fale Conosco
Tunel do Tempo
 
Aquecido "Triângulo da Lavagem"

 Denuncias
 Enquete


Agronegocio
Sem crédito suplementar, governo adia anúncio do Plano Safra, diz secretário

Ministério da Agricultura afirma que Plano depende de aprovação de verbas pelo Congresso para garantir o financiamento de produtores rurais. Novo ano-safra começa em 1º de julho.


 

O Ministério da Agricultura adiou o anuncio do Plano Safra, programa que oferece linhas de financiamento com taxas de juros menores para pequenos, médios e grandes produtores rurais, disse ao G1 o secretário de Política Agrícola da pasta, Eduardo Sampaio.

 

"Oficialmente está adiado", afirmou.

 

O atraso é resultado do adiamento da votação do pedido de crédito suplementar de R$ 248,9 bilhões feito pelo governo ao Congresso Nacional para a próxima terça-feira (11). A previsão da ministra Tereza Cristina até então era de que a divulgação do plano fosse feita no dia 12 junho.

O governo corre contra o tempo para apresentar o Plano Agrícola e Pecuário, como também é conhecido, já que o ano-safra começa no dia 1º de julho, data em anos anteriores o crédito subsidiado aos produtores foi disponibilizado.

Sampaio disse que o ministério precisa de R$ 7 bilhões para fechar as contas da pasta, sendo R$ 4,6 bilhões para completar o orçamento do plano. Sem a certeza desse repasse, não seria possível anunciar nenhuma linha de crédito.

"As contas estão feitas; precisamos de R$ 7 bilhões para o ministério, disso R$ 4,6 bilhões são para este Plano Safra e para quitar pendência de anos anteriores, o restante é para outros programas, como o Proagro (programa que oferece seguro rural a pequenos produtores)", disse o secretário, afirmando também que, assim que o orçamento extra for liberado, a pasta poderá anunciar o Plano Safra.

Em 2018, o então presidente Michel Temer (MDB) anunciou R$ 194,37 bilhões para financiar e apoiar a comercialização da produção agropecuária brasileira. Desse montante, foram destinados R$ 151,1 bilhões para o crédito de custeio (financiamento da produção). O crédito para investimentos na propriedade ficou em R$ 40 bilhões.

Além dos recursos de crédito para custeio e para investimentos, foram destinados R$ 2,6 bilhões para o apoio à comercialização (aquisição do governo federal para escoamento de excesso da produção rural) e R$ 600 milhões para o seguro rural.

As taxas de juros das linhas variaram de 2,5% ao ano para pequenos produtores até 7,5% ao ano para grandes produtores e para aquisição de máquinas.

Sampaio confirmou que, para grandes produtores, os juros devem subir no próximo plano. Para pequenos e médios, a ideia é de que as taxas fiquem próximas às do ciclo anterior.


Ele também prometeu incremento nas linhas de financiamento para investimentos nas propriedades rurais.

 

Autor: Por Rikardy Tooge, G1
Data: 06/06/2019
Noticias da Sessão: Agronegocio
» Sem crédito suplementar, governo adia anúncio do Plano Safra, diz secretário
» Exportações de carne bovina via Santos crescem 304% em abril
» CNA debate Livre Comércio entre Mercosul e Coreia do Sul
» Potencial de exportação de carne em maio é de 150,4 mil t, diz Agrifatto
» Mais de 1,5 mil produtores rurais fazem manifestação e entregam carta de reivindicação ao governo
» Demanda por suínos aumenta no Brasil
» BRF vai suspender abate de frango em unidade no Paraná
» Orgânicos geram R$ 4 bilhões de faturamento no ano passado
» Celulose já é o terceiro produto mais exportado pelo Paraná
» Queda nos embarques de janeiro atingiu todas as carnes
» Para cobrir rombo, Estados elevam tributação sobre agronegócio
» Safra mundial de soja será menor em 2018/19
» Pecuaristas de Mato Grosso são os que mais pagam por abate de animais após aumento no Fethab
» Produtores gaúchos começam a colher arroz da safra 2018/2019
» Cafeicultores querem acordo com UE para expandir mercado
 
Tempo
 
Copyright © 2008 Todos os direitos reservados ao NavegadorMT.