Cuiabá 15/09/2019
Busca:  
 Home
 Últimas Notícias
 Cidades
 Política
 Esporte
 Polícia
 Meio Ambiente
 Turismo
 Agronegócio
 Mundo
 Artigos
 Aúdio e Video
 Galeria de Fotos
 Quem Somos
 Fale Conosco
Tunel do Tempo
 
Aquecido "Triângulo da Lavagem"

 Denuncias
 Enquete


Agronegocio
Mais de 1,5 mil produtores rurais fazem manifestação e entregam carta de reivindicação ao governo

Carta também foi entregue ao governo do estado. Entre as reivindicação está a taxação do milho e aplicação do Fethab em estradas.


 

 Cerca de 1,5 mil produtores rurais realizaram uma manifestação no Centro Político Administrativo (CPA), nesta quarta-feira (15), em Cuiabá. Eles protestaram contra a decisão do governo do estado de impor tributo à produção de milho. Também reivindicaram que os recursos do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab) sejam aplicados na pavimentação e recuperação de estradas.

Os agricultores caminharam até Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), onde entregaram um carta de reivindicações aos deputados. Depois, seguiram a pé até o Palácio Paiaguás e a carta foi entregue ao governador.


Logo após o anúncio da taxação do milho, os produtores, com o apoio da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), criaram o movimento “Mato Grosso Forte - Quem Para Imposto Cobra Resultado”.

Segundo os agricultores, a principal cobrança feita por este movimento é a aplicação dos recursos advindos do pagamento do Fethab em estradas, conforme o fim para o qual o tributo foi criado.


"De que adiante ser o maior produtor de grãos se não temos estradas para escoar a produção?", questionou o vice-presidente da Aprosoja, Fernando Cadore.


Confira, abaixo, alguns pontos de reivindicação da carta entregue ao governo:

 

 

  • Imediata extinção do Fethab Milho;
  • Destinação de 100% dos recursos arrecadados pelo Fethab commodity (1 e 2) para transporte e habitação, atendendo aos objetivos para os quais o fundo foi criado;
  • Apresentação das medidas concretas que estão sendo tomadas e seus impactos para adequação do tamanho da máquina pública ao crescimento da arrecadação;
  • Desburocratização no âmbito da Secretaria de Fazenda, Secretaria de Meio Ambiente, Instituto de Defesa Agropecuária, Instituto de Terras e demais órgãos estaduais que tenham interface com a produção agropecuária;
  • Declínio à participação do estado em quaisquer projetos que envolvam Organizações Não Governamentais diretamente ligadas a ações que limitem direitos dos cidadãos mato-grossenses (Moratória da Soja, Manifesto do Cerrado, PCI - Produzir, Conservar e Incluir etc.);
  • Viabilizar, em lei, a participação efetiva das entidades do setor produtivo nos Conselhos de fiscalização da aplicação dos recursos do Fethab, estadual e municipal.

 

Autor: Por G1 MT
Data: 15/05/2019
Noticias da Sessão: Agronegocio
» Peste suína na China faz setor de carnes do Brasil viver bonança após tempestade
» Santa Catarina busca Indicação Geográfica do Mel de Melato da Bracatinga
» Sem crédito suplementar, governo adia anúncio do Plano Safra, diz secretário
» Exportações de carne bovina via Santos crescem 304% em abril
» CNA debate Livre Comércio entre Mercosul e Coreia do Sul
» Potencial de exportação de carne em maio é de 150,4 mil t, diz Agrifatto
» Mais de 1,5 mil produtores rurais fazem manifestação e entregam carta de reivindicação ao governo
» Demanda por suínos aumenta no Brasil
» BRF vai suspender abate de frango em unidade no Paraná
» Orgânicos geram R$ 4 bilhões de faturamento no ano passado
» Celulose já é o terceiro produto mais exportado pelo Paraná
» Queda nos embarques de janeiro atingiu todas as carnes
» Para cobrir rombo, Estados elevam tributação sobre agronegócio
» Safra mundial de soja será menor em 2018/19
» Pecuaristas de Mato Grosso são os que mais pagam por abate de animais após aumento no Fethab
 
Tempo
 
Copyright © 2008 Todos os direitos reservados ao NavegadorMT.