Cuiabá 23/04/2019
Busca:  
 Home
 Últimas Notícias
 Cidades
 Política
 Esporte
 Polícia
 Meio Ambiente
 Turismo
 Agronegócio
 Mundo
 Artigos
 Aúdio e Video
 Galeria de Fotos
 Quem Somos
 Fale Conosco
Tunel do Tempo
 
Aquecido "Triângulo da Lavagem"

 Denuncias
 Enquete


Cidades
Delegado diz em CPI que inquérito sobre Brumadinho já permite apontar homicídio com dolo eventual

Até esta segunda-feira 214 corpos haviam sido identificados e cerca de 90 estavam desaparecidos. Barragem B1 da Mina Córrego do Feijão, da Vale, se rompeu em 25 de janeiro.


 

O delegado da Polícia Civil Bruno Tasca afirmou nesta segunda-feira (25) que o inquérito criminal que investiga o desastre da Vale, em Brumadinho, na Região Metropolitana de BH, já permite apontar a hipótese de homicídio com dolo eventual – quando se assume o rico de cometer o crime – no rompimento da Barragem B1, da Mina Córrego do Feijão.

A afirmação foi dada por Tasca durante o primeiro dia de depoimentos na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), que investiga a tragédia da mineradora no dia 25 de janeiro. Entre as vítimas, 214 corpos já foram identificados e 91 pessoas ainda são consideradas desaparecidas. A avalanche de lama ainda deixou cerca de 80 pessoas desabrigadas.


“Nós já colhemos muitas informações, que nos permitem supor uma hipótese de dolo eventual. Agora resta apontar a participação de cada funcionário nesse evento que aconteceu, e está sendo feito. E não tenho dúvida aqui se nós chegarmos na diretoria e presidência as responsabilidade serão tomadas e apontadas”, disse o delegado.


Entre as vítimas, 214 corpos já foram identificados e 91 pessoas ainda são consideradas desaparecidas. A avalanche de lama ainda deixou cerca de 80 pessoas desabrigadas.

A Polícia Civil afirmou que, até esta segunda-feira, já tinha ouvido 60 pessoas entre investigados, sobreviventes e parentes de vítimas e que na semana passada recolheu os passaportes dos investigados.

Entre os convidados, estavam presentes os delegados responsáveis pelas investigações, representantes do Corpo de Bombeiros, da Defesa Civil, e das polícias militar e civil, além da Polícia Federal.

A reunião começou com um minuto de silêncio pelas vítimas do rompimento da barragem em Brumadinho. Também durante a reunião, o delegado da Polícia Federal Luiz Augusto Pessoa confirmou que a primeira parte do inquérito deve ser concluída no início de abril. É a que investiga crimes de falsidade ideológica e de uso de documentos falsos.

“A gente já tem convicção de que houve a prática do crime de falsidade ideológica e do crime de uso de documento falso. Falsidade ideológica cometido pela empresa de auditoria, no caso a TUV SUD, quando atestou a declaração de construção de estabilidade da barragem B1 em Brumadinho, na minha visão, de forma fraudulenta. E o uso documento falso é justamente pela Vale, que utilizou desse documento né, a declaração de condição de estabilidade, para obter as autorizações junto aos órgãos de fiscalização e controle.

A próxima reunião está marcada para quinta-feira (28) com novos depoimentos. A CPI tem prazo de 120 dias para encerrar a investigação. Se precisar, os deputados podem pedir mais 60 dias de prorrogação do prazo.

Sobre as conclusões da Polícia Federal, a empresa Tüv Süd disse que prefere não comentar, porque as investigações estão em curso. A empresa afirmou que iniciou uma investigação independente e que ofereceu sua total cooperação as autoridades para o esclarecimento das circunstâncias do colapso da estrutura.

A Vale disse que ao contratar uma empresa de auditoria de renome internacional como a Tüv Süd esperava que os auditores tivessem responsabilidade técnica independência e autonomia na prestação do serviço e afirmou que não teve conhecimento de nenhum cenário de risco eminente de ruptura da Barragem 1, da Mina Córrego do Feijão.


 

Autor: Por MG2 — Belo Horizonte
Data: 25/03/2019
Noticias da Sessão: Cidades
» Motorista é multado após vídeo de agentes de trânsito circulando em carro com pneu furado em Cuiabá
» Prefeito diz que governo e Ministério da Saúde devem ajudar a Santa Casa porque 70% dos pacientes são do interior de MT
» Ministro anuncia repasse de R$ 48 milhões para custeio do novo Hospital Municipal de Cuiabá
» templos de fé: Incêndio em Notre-Dame acende cuidados em igrejas de Mato Grosso
» Santa Casa fechada: Prefeitura afirma que pacientes continuam recebendo atendimento
» Obra histórica: Fechado há 4 anos, Museu do Rio passa por reestruturação
» Bonança: Lucro de empresa de Maggi cresce 50% e chega a R$ 808 milhões
» Nível de rio sobe após intensas chuvas e moradores ribeirinhos enfrentam alagamento em MT
» Governo deve prever para 2020 salário mínimo corrigido pela inflação, mas sem aumento real
» Sonho realizado: Cuiabano de 18 anos é aprovado em sete universidades nos EUA
» BR-163: Ônibus de Secretaria de Saúde com 19 passageiros capota
» Cidade Verde: Estudo aponta que Cuiabá perdeu 17% de área verde em 30 anos
» CPTEC emite alerta de tempestade e vendaval em Cuiabá e mais 87 municípios; veja lista
» Caos Financeiro: AL poderá destinar recursos para ajudar a Santa Casa
» Novo hospital municipal de Cuiabá não terá gestão 'portas abertas' a pacientes do interior
 
Tempo
 
Copyright © 2008 Todos os direitos reservados ao NavegadorMT.