Cuiabá 19/08/2019
Busca:  
 Home
 Últimas Notícias
 Cidades
 Política
 Esporte
 Polícia
 Meio Ambiente
 Turismo
 Agronegócio
 Mundo
 Artigos
 Aúdio e Video
 Galeria de Fotos
 Quem Somos
 Fale Conosco
Tunel do Tempo
 
Aquecido "Triângulo da Lavagem"

 Denuncias
 Enquete


Politica
Cutucada de Emanuel: Mendes nega veneno e diz: “Fui prefeito e Santa Casa não fechou”

Governador diz que há caos na saúde pública de Mato Grosso e não pode priorizar um município


 

O governador Mauro Mendes (DEM) reagiu à declaração do prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB), que na última semana lhe sugeriu “tirar o veneno” e abrir um diálogo com o Município por conta da crise envolvendo a Santa Casa de Misericórdia.

 

A unidade enfrenta graves problemas financeiros e de gestão e está com as atividades paralisadas desde a última segunda-feira (11).

 

“Primeiro que, se tem veneno, não está dentro de mim. Tenho muitas ocupações, muitas atribuições. Nunca demonstrei nenhuma atitude que pudesse demandar dele esse tipo de comportamento. Se há veneno, ele que se explique”, rebateu Mendes, em conversa com jornalistas na tarde desta terça-feira (19).

 

Primeiro que se tem veneno, não está dentro de mim. Tenho muitas ocupações, muitas atribuições. Nunca demonstrei nenhuma atitude que pudesse demandar dele esse tipo de comportamento

Ao “cobrar” uma ajuda do Governo do Estado, o prefeito justificou, entre outros motivos, que 70% dos atendimentos realizados pela Santa Casa são de pacientes do interior do Estado.

 

Questionado sobre a possibilidade de efetuar algum tipo de repasse à unidade, Mendes voltou a demonstrar certa resistência.

 

Ele ainda alfinetou Emanuel e disse que, à época em que foi prefeito de Cuiabá, conseguiu driblar as dificuldades e os atendimentos na Santa Casa jamais foram paralisados da forma como se encontra atualmente.

 

“Quando fui prefeito, conseguimos, durante quatro anos administrar esse problema da Santa Casa e nunca a deixei fechar. Desejo que o prefeito faça o mesmo”, disse.

 

Segundo o governador, há um caos na Saúde pública do Estado e não há como o Executivo priorizar um único problema.

 

“O Estado tem o dever de olhar para todos, mas sou governador de Mato Grosso. Não posso olhar apenas para um munícipio, para problemas específicos. Estarei sensível ao diálogo sobre qualquer tema que aflija os mato-grossenses, mas todos temos nossas responsabilidade”, concluiu.


 

Autor: Midia News - CAMILA RIBEIRO DA REDAÇÃO
Data: 19/03/2019
Noticias da Sessão: Politica
» Condenação Anulada - Perri: "Deve-se evitar que a ação penal se torne um reality show"
» Eleições: Botelho diz que deixará decisão sobre futuro político para 2020
» União se recusa a ser avalista de empréstimo de US$ 250 milhões do governo de MT
» NA DIVISA DE MT: Bolsonaro critica esquerda e diz que não atrapalhará quem produz
» Transporte Público: MPE abre inquérito e acompanha licitação lançada em Cuiabá
» Pinheiro aproxima poder público e população com programa “Prefeito no seu bairro”
» US$ 332 milhões: Governo aciona STF para garantir empréstimo com o Banco Mundial
» Greve da Educação: Dar aumento salarial é emitir um cheque sem fundo, diz Mauro
» Prefeito entrega mais 90 leitos de enfermaria e parque tecnológico de imagens do HMC
» Punição severa: OAB exclui advogados que foram secretários de Silval
» Santa Cruz de La Sierra: Mauro Mendes inicia negociação com Evo Moraes para comprar gás boliviano
» Prefeito mantém compromisso com servidores no pagamento dos salários dentro do mês trabalhado
» Na região Sul, prefeito entrega o primeiro Centro Educacional Infantil Cuiabano
» Desentendimento que segue: Vídeo mostra sessão na Câmara que termina em tapas
» us$ 250 milhões: Diretoria do Banco Mundial aprova empréstimo para Mato Grosso
 
Tempo
 
Copyright © 2008 Todos os direitos reservados ao NavegadorMT.