Cuiabá 21/10/2019
Busca:  
 Home
 Últimas Notícias
 Cidades
 Política
 Esporte
 Polícia
 Meio Ambiente
 Turismo
 Agronegócio
 Mundo
 Artigos
 Aúdio e Video
 Galeria de Fotos
 Quem Somos
 Fale Conosco
Tunel do Tempo
 
Aquecido "Triângulo da Lavagem"

 Denuncias
 Enquete


Agronegocio
Queda nos embarques de janeiro atingiu todas as carnes

Mas, mesmo sendo fraco, o desempenho de um único mês não é suficiente para uma sentença do gênero


 

Diante dos sucessivos desafios enfrentados externamente e ao fraco resultado registrado em janeiro passado – apenas 274,5 mil toneladas, depois de alcançar, em 2018, média mensal de 334,4 mil toneladas, resultado 21% superior – a ideia que prevalece é a de que apenas a indústria do frango enfrenta problemas de exportação.

 

Mas, mesmo sendo fraco, o desempenho de um único mês não é suficiente para uma sentença do gênero. Além disso, os fracos resultados de janeiro atingiram, indistintamente, todas as carnes, o que significa que o problema pode não estar neste ou naquele produto, mas, sim, ser decorrência do mês.

 

Observe-se a tabela abaixo. No tocante ao volume, apenas uma exceção (como em toda regra): só a carne bovina in natura aumentou seus embarques (+3%), mesmo assim em quantidade insuficiente para impedir o resultado negativo da carne bovina (-0,65%).

 

Sob esse aspecto, aliás, o retrocesso da carne de frango foi muitíssimo mais significativo (-15%). Mas a perda não foi muito maior que a da carne suína (quase 11% a menos) e ficou significativamente aquém da queda registrada pela carne de peru (-42%)

Já no tocante à receita cambial, as quatro carnes, sem exceção, sofreram expressiva redução.

 

Mas, descontados os 33% de queda da carne de peru, os índices de baixa apresentados pelas outras três carnes foram muito similares entre si: de 13% para a carne de frango; de, praticamente, 12% para a carne bovina; e de cerca de 18% para a carne suína.

 

A registrar ainda que, novamente, a carne bovina gerou a maior parte da receita cambial obtida pelo setor. Mais exatamente, 44,38% do total apontado pelo MAPA. Mas a participação da carne de frango não foi muito diferente, pois correspondeu a 43,24% do total. Ou seja: a diferença entre as duas carnes foi de apenas 1,14 ponto percentual.

 

Autor: Portal do Agronegócio
Data: 24/02/2019
Noticias da Sessão: Agronegocio
» Peste suína na China faz setor de carnes do Brasil viver bonança após tempestade
» Santa Catarina busca Indicação Geográfica do Mel de Melato da Bracatinga
» Sem crédito suplementar, governo adia anúncio do Plano Safra, diz secretário
» Exportações de carne bovina via Santos crescem 304% em abril
» CNA debate Livre Comércio entre Mercosul e Coreia do Sul
» Potencial de exportação de carne em maio é de 150,4 mil t, diz Agrifatto
» Mais de 1,5 mil produtores rurais fazem manifestação e entregam carta de reivindicação ao governo
» Demanda por suínos aumenta no Brasil
» BRF vai suspender abate de frango em unidade no Paraná
» Orgânicos geram R$ 4 bilhões de faturamento no ano passado
» Celulose já é o terceiro produto mais exportado pelo Paraná
» Queda nos embarques de janeiro atingiu todas as carnes
» Para cobrir rombo, Estados elevam tributação sobre agronegócio
» Safra mundial de soja será menor em 2018/19
» Pecuaristas de Mato Grosso são os que mais pagam por abate de animais após aumento no Fethab
 
Tempo
 
Copyright © 2008 Todos os direitos reservados ao NavegadorMT.