Cuiabá 24/04/2019
Busca:  
 Home
 Últimas Notícias
 Cidades
 Política
 Esporte
 Polícia
 Meio Ambiente
 Turismo
 Agronegócio
 Mundo
 Artigos
 Aúdio e Video
 Galeria de Fotos
 Quem Somos
 Fale Conosco
Tunel do Tempo
 
Aquecido "Triângulo da Lavagem"

 Denuncias
 Enquete


Politica
Nova Legislatura: Assembleia tem 14 partidos e minoria na oposição a partir de 2019

Na busca pelos votos dos parlamentares para os projetos do Executivo, no início do ano, o secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho chegou a estimar que a base do governo teria de 16 a 18 deputados


 

A partir de sexta-feira (1º) a Assembleia Legislativa de Mato Grosso terá uma nova cara. Dos 24 deputados estaduais eleitos, 14 não estavam na AL até o ano passado e com essas mudanças, um novo cenário começa a se delimitar. Serão 14 partidos com representantes eleitos, sendo o Movimento Democrático Brasileiro (MDB) o maior deles, com três representantes, que passarão a ser quatro com a saída do deputado reeleito Allan Kardec (PDT) para ocupar o cardo de secretário de Cultura e a consequente entrada do suplente Romoaldo Junior (MDB).

 

Além do MDB, o Partido Socialista Brasileiro (PSB), Democratas (DEM), o Partido Social Liberal (PSL), o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), o Partido Social Cristão (PSC), o Partidos dos Trabalhadores (PT), o Democracia Cristã (DC) e o Partido Verde (PV) elegeram dois deputados estaduais cada.

 

Já o Partido Social Democrático (PSD), o Partido Republicano Brasileiro (PRB), o Partido Democrático Trabalhista (PDT), o Progressistas e o Partido Republicano da Ordem Social (PROS) têm um representante cada, porém, o PDT ficará sem o deputado eleito, Allan Kardec, que irá integrar a atual gestão.

 

Leia também - 24 deputados assumem nesta sexta; conheça os nomes

 

Juntos, os 24 deputados conquistaram mais de 535 mil votos, sendo a mais votada Janaína Riva (MDB) com 51.546 votos e o menos votado João Batista do Sindispen (PROS) 11.374 votos. Como na eleição para deputado estadual não ganha quem tem mais votos e sim o número de votos de cada grupo define quantas cadeiras caberão a cada partido, os eleitos não foram necessariamente os mais votados.

 

É o caso do deputado que encerrou o mandato esta semana, Pedro Satélite, que teve 13.860 votos, mas não entrou para a Assembleia Legislativa, assim como o sindicalista Henrique Lopes (PT), que conquistou 18.300 votos e ficou como suplente do partido.

 

Na busca pelos votos dos parlamentares para os projetos do Executivo, no início do ano, o secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho chegou a estimar que a base do governo teria de 16 a 18 deputados, o que garantiria a maioria para a votação na Assembleia Legislativa.

 

Até agora, são declaradamente da oposição os deputados do PT, Lúdio Cabral e Valdir Barranco, e o deputado Wilson Santos (PSDB), que já mostrou nas sessões deste ano que baterá de frente com o governador Mauro Mendes (DEM). Nos últimos embates com o governo, os deputados que irão tomar posse Elizeu Nascimento (DC) e João Batista do Sindispen (PROS) afirmaram que irão defender os servidores na AL, o que pode configurar uma nova oposição.

 

Autor: GD: Thalyta Amaral
Data: 31/01/2019
Noticias da Sessão: Politica
» Novela da Santa Casa: Ministro diz que não manda recurso sem abertura de contas
» Senadora Cassada: Fávero: “Quem pretendia sentar na cadeira vai ter que esperar”
» No aniversário da Capital, Roberto França relembra a Cuiabá dos 250 anos à atual
» Autorização para empréstimo: “Maior preocupação era a AL; dinheiro deve ser liberado até julho”
» Presidente da AMM lamenta morte do ex-prefeito Murilo Domingos
» Pedido do governador: Assembleia aprova empréstimo de US$ 332 milhões para MT
» Novos critérios: Governo do Estado sinaliza dificuldade para pagar RGA em 2019
» Empréstimo: Botelho quer reunir deputados e crê em "aprovação tranquila"
» Envolvido na Lava Jato: Parlamentares do PT se posicionam sobre Michel Temer
» Michel Temer chega à Superintendência da PF no Rio; ex-presidente vai ficar sozinho em sala
» Sistema Político: Mendes assume negociação com deputados da base na AL
» Cutucada de Emanuel: Mendes nega veneno e diz: “Fui prefeito e Santa Casa não fechou”
» Reunião na Petrobras: Mendes pede autorização para comprar gás natural da Bolívia
» Cargo vitalício: Governo e TCE vão acatar decisão que suspende posse de Maluf
» Foco na administração: Emanuel admite reunião com partido, mas não fala em reeleição
 
Tempo
 
Copyright © 2008 Todos os direitos reservados ao NavegadorMT.