Cuiabá 17/08/2019
Busca:  
 Home
 Últimas Notícias
 Cidades
 Política
 Esporte
 Polícia
 Meio Ambiente
 Turismo
 Agronegócio
 Mundo
 Artigos
 Aúdio e Video
 Galeria de Fotos
 Quem Somos
 Fale Conosco
Tunel do Tempo
 
Aquecido "Triângulo da Lavagem"

 Denuncias
 Enquete


Politica
Governo vai conseguir colocar salários em dia seis meses após decreto de calamidade financeira, diz presidente da ALMT

Documento permite que o governo adote medidas que possibilitem a redução de despesas em todas as áreas.


 

O presidente da Assembelia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), Eduardo Botelho (DEM), afirmou nesta sexta-feira (25) que, com a aprovação do decreto de calamidade financeira, em seis meses, o governo do estado vai conseguir por os salários dos servidores públicos em dia.

O decreto aprovado a contragosto dos servidores públicos e de representantes dos setores agropecuário e comerical, tem prazo de validade máxima de 180 dias, podendo ser prorrogado.

Segundo o governador Mauro Mendes (DEM), a medida, aprovada em duas votações, ambas nessa quinta-feira, é necessária por causa de dívidas deixadas pela administração anterior, estimadas em R$ 4 bilhões, e despesas acima da arrecadação prevista para este ano.

O decreto permite que o governo adote medidas que possibilitem a redução de despesas em todas as áreas. Um dos focos é a folha de pagamento.

Junto com o decreto, os parlamentares votaram alterações no Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab) e o congelamento da Revisão Anual Geral (RGA), que é um direito dos servidores públicos, por dois anos.

Quanto ao Fethab, Botelho declarou que a reformulação vai possibilitar a injeção de R$ 600 mihões a mais nos cofres públicos. Ele alegou que, de maneira geral, o valor da contribuição permaneceu no patamar anterior.

Sobre a RGA, o parlamentar afirmou que, assim que a economia do estado for restabelecida, o reajuste volta a ser discutido. E que, o prazo máximo do índice estabelecido é dois anos.

Com relação aos repasses para os poderes Legislativo e Judiciário, Botelho afirmou que haverá um controle para que os repasses não ocasionem prejuízos à economia.

 

Votação

 

Os projetos foram aprovados em duas votações, ambas na quinta-feira. No entanto, a aprovação ocorreu depois de muita discussão com os representantes dos setores envolvidos e sob manifestaçãoes do servidores públicos que não concordaram com as medidas propostas.

Além do Fethab e da RGA, a proposta de extinguir nove secretarias e cinco autarquias e de criação de uma nova versão da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), foram apreciadas pelos parlamentares.

 

Autor: Por G1 MT
Data: 27/01/2019
Noticias da Sessão: Politica
» Condenação Anulada - Perri: "Deve-se evitar que a ação penal se torne um reality show"
» Eleições: Botelho diz que deixará decisão sobre futuro político para 2020
» União se recusa a ser avalista de empréstimo de US$ 250 milhões do governo de MT
» NA DIVISA DE MT: Bolsonaro critica esquerda e diz que não atrapalhará quem produz
» Transporte Público: MPE abre inquérito e acompanha licitação lançada em Cuiabá
» Pinheiro aproxima poder público e população com programa “Prefeito no seu bairro”
» US$ 332 milhões: Governo aciona STF para garantir empréstimo com o Banco Mundial
» Greve da Educação: Dar aumento salarial é emitir um cheque sem fundo, diz Mauro
» Prefeito entrega mais 90 leitos de enfermaria e parque tecnológico de imagens do HMC
» Punição severa: OAB exclui advogados que foram secretários de Silval
» Santa Cruz de La Sierra: Mauro Mendes inicia negociação com Evo Moraes para comprar gás boliviano
» Prefeito mantém compromisso com servidores no pagamento dos salários dentro do mês trabalhado
» Na região Sul, prefeito entrega o primeiro Centro Educacional Infantil Cuiabano
» Desentendimento que segue: Vídeo mostra sessão na Câmara que termina em tapas
» us$ 250 milhões: Diretoria do Banco Mundial aprova empréstimo para Mato Grosso
 
Tempo
 
Copyright © 2008 Todos os direitos reservados ao NavegadorMT.