Cuiabá 24/04/2019
Busca:  
 Home
 Últimas Notícias
 Cidades
 Política
 Esporte
 Polícia
 Meio Ambiente
 Turismo
 Agronegócio
 Mundo
 Artigos
 Aúdio e Video
 Galeria de Fotos
 Quem Somos
 Fale Conosco
Tunel do Tempo
 
Aquecido "Triângulo da Lavagem"

 Denuncias
 Enquete


Politica
Governo vai conseguir colocar salários em dia seis meses após decreto de calamidade financeira, diz presidente da ALMT

Documento permite que o governo adote medidas que possibilitem a redução de despesas em todas as áreas.


 

O presidente da Assembelia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), Eduardo Botelho (DEM), afirmou nesta sexta-feira (25) que, com a aprovação do decreto de calamidade financeira, em seis meses, o governo do estado vai conseguir por os salários dos servidores públicos em dia.

O decreto aprovado a contragosto dos servidores públicos e de representantes dos setores agropecuário e comerical, tem prazo de validade máxima de 180 dias, podendo ser prorrogado.

Segundo o governador Mauro Mendes (DEM), a medida, aprovada em duas votações, ambas nessa quinta-feira, é necessária por causa de dívidas deixadas pela administração anterior, estimadas em R$ 4 bilhões, e despesas acima da arrecadação prevista para este ano.

O decreto permite que o governo adote medidas que possibilitem a redução de despesas em todas as áreas. Um dos focos é a folha de pagamento.

Junto com o decreto, os parlamentares votaram alterações no Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab) e o congelamento da Revisão Anual Geral (RGA), que é um direito dos servidores públicos, por dois anos.

Quanto ao Fethab, Botelho declarou que a reformulação vai possibilitar a injeção de R$ 600 mihões a mais nos cofres públicos. Ele alegou que, de maneira geral, o valor da contribuição permaneceu no patamar anterior.

Sobre a RGA, o parlamentar afirmou que, assim que a economia do estado for restabelecida, o reajuste volta a ser discutido. E que, o prazo máximo do índice estabelecido é dois anos.

Com relação aos repasses para os poderes Legislativo e Judiciário, Botelho afirmou que haverá um controle para que os repasses não ocasionem prejuízos à economia.

 

Votação

 

Os projetos foram aprovados em duas votações, ambas na quinta-feira. No entanto, a aprovação ocorreu depois de muita discussão com os representantes dos setores envolvidos e sob manifestaçãoes do servidores públicos que não concordaram com as medidas propostas.

Além do Fethab e da RGA, a proposta de extinguir nove secretarias e cinco autarquias e de criação de uma nova versão da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), foram apreciadas pelos parlamentares.

 

Autor: Por G1 MT
Data: 27/01/2019
Noticias da Sessão: Politica
» Novela da Santa Casa: Ministro diz que não manda recurso sem abertura de contas
» Senadora Cassada: Fávero: “Quem pretendia sentar na cadeira vai ter que esperar”
» No aniversário da Capital, Roberto França relembra a Cuiabá dos 250 anos à atual
» Autorização para empréstimo: “Maior preocupação era a AL; dinheiro deve ser liberado até julho”
» Presidente da AMM lamenta morte do ex-prefeito Murilo Domingos
» Pedido do governador: Assembleia aprova empréstimo de US$ 332 milhões para MT
» Novos critérios: Governo do Estado sinaliza dificuldade para pagar RGA em 2019
» Empréstimo: Botelho quer reunir deputados e crê em "aprovação tranquila"
» Envolvido na Lava Jato: Parlamentares do PT se posicionam sobre Michel Temer
» Michel Temer chega à Superintendência da PF no Rio; ex-presidente vai ficar sozinho em sala
» Sistema Político: Mendes assume negociação com deputados da base na AL
» Cutucada de Emanuel: Mendes nega veneno e diz: “Fui prefeito e Santa Casa não fechou”
» Reunião na Petrobras: Mendes pede autorização para comprar gás natural da Bolívia
» Cargo vitalício: Governo e TCE vão acatar decisão que suspende posse de Maluf
» Foco na administração: Emanuel admite reunião com partido, mas não fala em reeleição
 
Tempo
 
Copyright © 2008 Todos os direitos reservados ao NavegadorMT.