Cuiabá 19/08/2019
Busca:  
 Home
 Últimas Notícias
 Cidades
 Política
 Esporte
 Polícia
 Meio Ambiente
 Turismo
 Agronegócio
 Mundo
 Artigos
 Aúdio e Video
 Galeria de Fotos
 Quem Somos
 Fale Conosco
Tunel do Tempo
 
Aquecido "Triângulo da Lavagem"

 Denuncias
 Enquete


Agronegocio
Cafeicultores querem acordo com UE para expandir mercado

Países europeus cobram tarifa de 9% do produto brasileiro


 

Produtores e exportadores brasileiros de café esperam que o novo governo atue para concluir o acordo comercial entre o Mercosul e a União Europeia (UE). Conforme os termos estabelecidos nas negociações até o fim do ano passado, as partes deixarão de cobrar tarifas para o café solúvel em até quatro anos após a assinatura do tratado.

Atualmente, a tarifa cobrada pela União Europeia é de 9%. A taxação favorece o principal concorrente brasileiro, a Colômbia, que exporta para 28 países sem os mesmos custos aduaneiros.

“Isso é uma desvantagem muito grande”, afirma o presidente executivo do Conselho Nacional do Café, Silas Brasileiro, que deve levar o assunto para a reunião de fevereiro do Conselho Deliberativo da Política do Café (CDPC), que funciona dentro do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

“De um a dez, estamos no nove para fechar o acordo”, avalia o diretor de Relações Institucionais da Associação Brasileira da Indústria de Café Solúvel (Abics), Agnaldo Lima.

Segundo Lima, a atuação conjunta das áreas econômicas do governo e da diplomacia foi eficiente nas negociações sobre o café com os europeus. “Os produtos brasileiros que mais enfrentam resistência na Comissão Europeia para ter um acordo são açúcar, álcool e carne. Não o café.”

 

O mercado europeu é estratégico para a ampliação das exportações de café solúvel. Nenhum país da União Europeia ocupa posição entre os 10 principais destinos dos produtos brasileiros. Até novembro de 2018, os três maiores compradores de café solúvel do Brasil foram os Estados Unidos (591 mil sacas de 60 kg); Rússia (404 mil sacas) e Japão (269mil sacas).

 

Em todo o ano passado, as exportações de café solúvel (industrializado) renderam mais de US$ 526 milhões. O valor é quase nove vezes menor do que o país obteve com a venda de café cru em grão, para o qual a União Europeia não cobra tarifa.O café brasileiro é cultivado principalmente por pequenos produtores.

 

Segundo pesquisa feita Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), entre outubro e novembro do ano passado em Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Espírito Santo, Bahia, Rondônia e Goiás, 66% das propriedades produtoras de café têm menos de 20 hectares.

 

Autor: AGÊNCIA BRASIL
Data: 14/01/2019
Noticias da Sessão: Agronegocio
» Sem crédito suplementar, governo adia anúncio do Plano Safra, diz secretário
» Exportações de carne bovina via Santos crescem 304% em abril
» CNA debate Livre Comércio entre Mercosul e Coreia do Sul
» Potencial de exportação de carne em maio é de 150,4 mil t, diz Agrifatto
» Mais de 1,5 mil produtores rurais fazem manifestação e entregam carta de reivindicação ao governo
» Demanda por suínos aumenta no Brasil
» BRF vai suspender abate de frango em unidade no Paraná
» Orgânicos geram R$ 4 bilhões de faturamento no ano passado
» Celulose já é o terceiro produto mais exportado pelo Paraná
» Queda nos embarques de janeiro atingiu todas as carnes
» Para cobrir rombo, Estados elevam tributação sobre agronegócio
» Safra mundial de soja será menor em 2018/19
» Pecuaristas de Mato Grosso são os que mais pagam por abate de animais após aumento no Fethab
» Produtores gaúchos começam a colher arroz da safra 2018/2019
» Cafeicultores querem acordo com UE para expandir mercado
 
Tempo
 
Copyright © 2008 Todos os direitos reservados ao NavegadorMT.