Cuiabá 16/02/2019
Busca:  
 Home
 Últimas Notícias
 Cidades
 Política
 Esporte
 Polícia
 Meio Ambiente
 Turismo
 Agronegócio
 Mundo
 Artigos
 Aúdio e Video
 Galeria de Fotos
 Quem Somos
 Fale Conosco
Tunel do Tempo
 
Aquecido "Triângulo da Lavagem"

 Denuncias
 Enquete


Politica
Com aprovação de Leis: Botelho afirma que Mendes terá apoio da AL para cortar gastos e equilibrar contas

Conforme o parlamentar, o novo governador “vai precisar da Assembleia pra fazer algumas alterações, como reestruturação de cargos e algumas outras mudanças que ele quer implementar”.


 

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado reeleito Eduardo Botelho (DEM), afirmou que os parlamentares se colocaram à disposição do governador eleito Mauro Mendes (DEM) para garantir medidas que visem o equilíbrio financeiro do Estado. “Nós estamos dispostos a trabalhar para aprovar as leis que forem necessárias”, disse nesta quarta-feira (5), após participar de uma reunião em que Mendes apresentou planilhas que apontam deficit de R$ 1,5 bilhão nas contas previstas para 2019.

 

Conforme o parlamentar, o novo governador “vai precisar da Assembleia pra fazer algumas alterações, como reestruturação de cargos e algumas outras mudanças que ele quer implementar”. Botelho se mostrou convencido de que a situação orçamentária do próximo ano será crítica. “Nós vamos entrar com o orçamento em deficit”, disse. 

Em contrapartida, o presidente do Legislativo Estadual avalia que será preciso que a nova administração do Estado tome “medidas duras”, como corte de gastos, o que deve começar já em janeiro.

 

Leia também - Mendes assumirá governo com deficit de R$ 1,5 bilhão e fala em 'rombo milionário'

 

Orçamento “maquiado”

Ao sair da reunião com os demais deputados estaduais e o governador eleito, Eduardo Botelho ainda destacou que os números apresentados retratam a realidade, diferentemente do que era costumeiro anteriormente. “Sempre o orçamento foi meio maquiado. Fazia uma ‘maquiação’ pra ‘empatar’ com o orçamento”, disse.

 

Segundo Botelho, o orçamento aprovado no ano passado não previa deficit para 2018, por exemplo. “De restos a pagar tem R$ 1,5 bilhão. Então, tem que ser real.”

Com relação à Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2019, o deputado afirmou que, provavelmente, não será aprovada neste ano porque “não vai dar tempo” e também porque o governador não enviou projeto. “Nós só temos duas semanas. O governo ainda não mandou pra cá a nova LOA, nós ainda não chegamos a um fechamento geral. Então, não vai votar”, afirmou. (Colaborou Lázaro Thor Borges, repórter do jornal A Gazeta)

 

Autor: GD: Celly Silva
Data: 05/12/2018
Noticias da Sessão: Politica
» Pré-campanha: Defesa de Selma Arruda apresenta alegações finais sobre abuso de poder e caixa 2
» Reação de Produtores: Prefiro começar vaiado e terminar aplaudido, diz Mendes
» Marcha no CPA: Servidores públicos protestam contra escalonamento e pela RGA
» Indicação da Assembléia: Rito para escolha de conselheiro deve ser publicado na terça-feira
» Blocos em discussão: Deputados articulam composição de Comissões Permanentes
» Operação Sodoma: TJ retira tornozeleira eletrônica de Silval, filho e mais 14 pessoas
» A bancada dos réus na Alerj: 1 em cada 5 deputados responde a processos criminais ou está preso
» "Vou contribuir, mas não abro mão da independência", diz Misael
» "Escolha do novo conselheiro do TCE será transparente e criteriosa"
» Pacote de Moro: "Medidas endurecem combate ao crime organizado e corrupção"
» Defensor da taxação: Tucano pede para reeditar CPI da Renúncia e Sonegação
» Despedida momentânea: Maggi diz que ainda é cedo para dizer se abandona carreira política
» Nova Legislatura: Assembleia tem 14 partidos e minoria na oposição a partir de 2019
» Ratos na merenda: Prefeitura adquiriu 48 ton de pão, mas escolas não receberam
» Caixa 2: Ministério Público encontra cheque omitido por senadora Selma Arruda
 
Tempo
 
Copyright © 2008 Todos os direitos reservados ao NavegadorMT.