Cuiabá 17/12/2018
Busca:  
 Home
 Últimas Notícias
 Cidades
 Política
 Esporte
 Polícia
 Meio Ambiente
 Turismo
 Agronegócio
 Mundo
 Artigos
 Aúdio e Video
 Galeria de Fotos
 Quem Somos
 Fale Conosco
Tunel do Tempo
 
Aquecido "Triângulo da Lavagem"

 Denuncias
 Enquete


Politica
Para esclarecer as controvérsias: Câmara vai votar projeto de Bezerra que muda regras em audiências trabalhistas

O projeto tramita em caráter conclusivo (não precisa ser votado pelo plenário para que seja considerado aprovado pela Câmara).


 

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara dos Deputados (CCJC) vai analisar Projeto de Lei 6509/16, de autoria do deputado Carlos Bezerra (MDB), que estabelece mudanças nas regras para o interrogatório em audiências de processos trabalhistas.

 

A principal mudança impede que a parte assistida por advogado esteja presente durante o depoimento do outro lado da ação. Conforme o parlamentar, a a intenção é que um depoimento não influencie o outro, regra já presente no Código de Processo Civil (Lei 13.105/15) e adotada na jurisprudência trabalhista.

 

Bezerra argumenta que a inserção da matéria na CLT é fundamental para esclarecer as controvérsias existentes e, assim, proporcionar segurança jurídica.O projeto foi aprovado há poucos dias na Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público.

 

O projeto tramita em caráter conclusivo (não precisa ser votado pelo plenário para que seja considerado aprovado pela Câmara). Para o relator na Comissão de Trabalho, deputado Lucas Vergilio (SD-GO), o projeto torna lei o que já é hábito nas audiências trabalhistas, e retira lacuna existente na legislação.

 

Na defesa da proposição, o deputado Carlos Bezerra justifica que a finalidade da regra é a de evitar que uma das partes seja favorecida pela possibilidade de predeterminar seu depoimento de acordo com o que ouviu da outra, o que significaria "afronta à igualdade no processo.".

 

Outras mudanças

 

A proposta moderniza o texto da CLT ao retirar expressões referentes ao "presidente da sessão" ou "juiz temporário", relacionadas à extinta representação classista na Justiça do Trabalho.

 

Além disso, o texto deixa claro que o juiz poderá interrogar os litigantes por sua iniciativa ou a pedido de outra parte; e que o livre interrogatório poderá ser usado como meio de prova no processo. (Com assessoria) 

Autor: Redação do GD
Data: 28/11/2018
Noticias da Sessão: Politica
» Botelho: “Não vai ter como aumentar duodécimo de nenhum Poder”
» Respostas a Taques: “Não sou marinheiro de primeira viagem na administração pública”
» Esclarecimento: Não fiz nada de errado, diz Flávio Bolsonaro sobre o caso do ex-assessor
» Com ressalvas: TRE aprova contas de Mendes, mas pede devolução de R$ 100 mil
» Pedido de Mendes: “Eu não tenho o compromisso de renovar o Fethab 2”, diz Taques
» Improbidade: Vereadores de Chapada votam pedido de afastamento da prefeita Thelma de Oliveira - veja documento
» Governo confirma escalonamento e paga 90% dos servidores na próxima segunda-feira
» Esquema milionário: Ex-vereador de Cuiabá e mais oito são condenados à prisão
» Com aprovação de Leis: Botelho afirma que Mendes terá apoio da AL para cortar gastos e equilibrar contas
» Dívida de 91 milhões: Mauro Mendes recorre ao TCE para barrar despesas na saúde criadas por Pedro Taques
» Juiz condena oficial de Justiça que não cumpriu mandado contra Wilson Santos
» No Supremo: Assembleia recorre contra decisão que livra Taques de pagar emendas impositivas
» Taxação do Agro: Botelho: "Não podemos matar nossa galinha dos ovos de ouro"
» Para esclarecer as controvérsias: Câmara vai votar projeto de Bezerra que muda regras em audiências trabalhistas
» Valores recebidos do TJ: Selma Arruda pode ter utilizado verbas indevidas na pré-campanha ao Senado
 
Tempo
 
Copyright © 2008 Todos os direitos reservados ao NavegadorMT.