Cuiabá 17/12/2018
Busca:  
 Home
 Últimas Notícias
 Cidades
 Política
 Esporte
 Polícia
 Meio Ambiente
 Turismo
 Agronegócio
 Mundo
 Artigos
 Aúdio e Video
 Galeria de Fotos
 Quem Somos
 Fale Conosco
Tunel do Tempo
 
Aquecido "Triângulo da Lavagem"

 Denuncias
 Enquete


Agronegocio
Frigoríficos ainda esperam boa disponibilidade de animais no ano que vem

Ainda que alguns analistas do mercado acreditem em uma queda na oferta de boi gordo em 2019, os principais frigoríficos brasileiros apostam que o ciclo da pecuária seguirá favorável


 

"O impacto da retenção de fêmeas só vai ser sentido em 2020", diz a gerente-executiva de inteligência de negócios da Minerva Foods, Marcela Moura. Segundo ela, 2019 deve ser um ano de oferta de gado bovino tão boa quanto a deste ano.

 

A gerente da Minerva, que é a terceira maior empresa de carne bovina do país, argumenta que o último ciclo favorável aos frigoríficos apresentou uma taxa anual elevada de vacas abatidas. "Foram três anos acima de 45%", afirma, em alusão ao período de 2012 e 2014. Diante disso, Marcela avalia que ainda há espaço para o descarte de vacas em 2019, o que seria positivo para a indústria.

 

De acordo com a executiva, a margem da criação de bezerros ainda não reagiu o suficiente para impedir o descarte de vacas. "A margem da cria atingiu o nível mais baixo em setembro de 2018", afirma. Embora admita que a margem dos frigoríficos está distante dos períodos áureos do ciclo pecuário, César Castro Alves, analista da MB Agro, também aposta em mais um ano de grande disponibilidade de bois. "Acho que ainda tem mais oferta pela frente".

 

Na Marfrig Global Foods, segunda maior produtora de carne bovina do país, os principais executivos também não esboçam preocupação com a oferta de gado em 2019. Em tese, a empresa seria uma das mais prejudicadas, ne medida em que expandiu a capacidade de abates no Brasil em 75% desde o último ano, por meio da reabertura de unidades.

 

Em entrevista ao Valor na sema passada, o CEO da companhia, Eduardo Miron, disse que a utilização da capacidade instalada no Brasil está "um pouco acima" de 80%.

"Não estamos preocupados com reversão de ciclo neste momento. Acho que mesmo com todo esse crescimento de abates, você vê que o preço [do gado] não teve uma variação significativa", afirmou, reconhecendo a dificuldade para detectar o momento exato de reversão do ciclo da pecuária. "Gostaria de ter esse número mágico", disse.

 

Autor: Portal do Agronegócio
Data: 19/11/2018
Noticias da Sessão: Agronegocio
» Programa Soja Plus intensificará atividades em Bonito, Jardim e Bodoquena
» Nova fábrica de etanol de milho em MT gerará 1 bilhão de litros
» Exportações do Agro: Isenção de ICMS faz MT deixar de recolher R$ 7 bilhões
» Frigoríficos ainda esperam boa disponibilidade de animais no ano que vem
» Taxação do Agro: “MS produz metade de MT e arrecada quase o mesmo em ICMS”
» Agricultores de MT se animam com vendas de milho para usinas de etanol
» Energia Renovável: Produção e consumo de biocombustíveis no país aumentam em 2018
» Novo Governo: Agronegócio irá defender hoje em Brasília nomes de Blairo e Sachetti para o Mapa
» APPA investe R$ 16 milhões em obras de modernização no Porto de Paranaguá
» Margem de rentabilidade dos grãos recua entre 40% a 50% em 2018
» Guerra comercial já eleva os preços na China
» Guerra comercial de Trump impulsiona setor agrícola do Brasil
» IGC eleva estimativa para safra mundial 2018/19 de soja
» Demanda chinesa deve duplicar plantio de algodão no Brasil
» China substituirá soja dos EUA por produto do Brasil e outros países, diz executivo da Jiusan
 
Tempo
 
Copyright © 2008 Todos os direitos reservados ao NavegadorMT.