Cuiabá 19/11/2018
Busca:  
 Home
 Últimas Notícias
 Cidades
 Política
 Esporte
 Polícia
 Meio Ambiente
 Turismo
 Agronegócio
 Mundo
 Artigos
 Aúdio e Video
 Galeria de Fotos
 Quem Somos
 Fale Conosco
Tunel do Tempo
 
Aquecido "Triângulo da Lavagem"

 Denuncias
 Enquete


Politica
Silval nega sociedade com Mendes e 'proíbe' uso de seu nome na campanha eleitoral

Ex-governador Silval Barbosa além de negar qualquer sociedade com Mauro Mendes (DEM), enfatiza que não autoriza nenhum grupo ou candidato falar por ele nesta campanha.


 

Ex-governador Silval Barbosa negou que tenha qualquer sociedade com o candidato ao governo do Estado, Mauro Mendes (DEM), o que tem sido propagado pelo governador e candidato à reeleição Pedro Taques (PSDB) em sua campanha eleitoral contra o democrata. “Meu irmão que teve participação com ele, que figura com ele. Eu nunca fui sócio do Mauro”, afirmou Barbosa nesta quarta-feira (12), ao deixar a sede do Ministério Público Estadual (MPE), onde prestou depoimento sobre inquéritos sigilosos.

Irritado com o uso de seu nome pelos candidatos no pleito deste ano, Silval afirmou que não autoriza ninguém a falar por ele durante a campanha e ainda lembrou que seu envolvimento tanto com Mauro Mendes quanto com Pedro Taques estão relatados em sua delação premiada, firmada junto ao Ministério Público Federal (MPF) e homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Chico Ferreira

Silval Barbosa

“Do jeito que falam do Mauro, um dos anexos meus trata sobre isso, como trata também do que eu fiz com o Pedro, aqueles recursos que eu disponibilizei pra ele da JBS. Então, todo mundo fala. Então tudo o que eu fiz, eu prestei contas à Justiça”, disse.

Questionado sobre o fato de Pedro Taques constantemente vincular a figura de Mauro Mendes com o MDB e Silval, como se ele ainda fosse filiado à legenda ou mantivesse influência no grupo político, Silval rebateu.

“Como eu sou coordenador se eu estou restrito dentro de casa, cuidando da minha família e prestando contas à Justiça? Aonde que eu tenho espaço? Vocês têm me visto na rua? Dificilmente. Eu não posso dar entrevista na minha casa. Eu desfiliei, não tenho nada com PMDB, com PR, com PSDB muito menos, ou com qualquer outro partido. Pra mim não interessa o resultado da eleição. Eu só espero que a população escolha o melhor pra gerir Mato Grosso. Só isso. Não tenho participação nenhuma”, asseverou.

O ex-governador também destacou que teve os direitos políticos suspensos em uma das condenações que sofreu e não tem condições de participar da eleição sequer como eleitor. “Eu não voto porque estou inelegível. Perdi meus direitos políticos, não vou votar. Nem isso eu não vou fazer, quanto mais coordenar campanha de alguém. Jamais. Todo mundo tem o tempo suficiente de avaliar, olhar os programas de cada um e escolher o melhor. E o que tem de mentira de cada um as pessoas também vão saber separar”.

Silval Barbosa se recusou, inclusive, a fazer qualquer tipo de avaliação sobre os candidatos que disputam o Palácio Paiaguás. “Não vou dar avaliação porque não estou participando da campanha. Mas os meios de pesquisa acho que estão mostrando o que é possível e a sociedade vai saber o que é melhor”. 

 

Autor: Celly Silva, repórter do GD
Data: 12/09/2018
Noticias da Sessão: Politica
» Ferrovia Integração Centro-Oeste é tema de audiência pública no Vale do Araguaia
» Jogo duríssimo:Mendes diz que irá intensificar fiscalização contra sonegadores
» Prefeito anuncia 100% de saneamento básico até 2024 e revela não pensar em reeleição
» 8 horas diárias: Servidores aceitam jornada maior imposta por Mauro Mendes
» Calote na política: TJ bloqueia 30% do salário de Pátio para pagar dívida com Botelho
» Enxugando a máquina: Mendes anuncia a extinção de 9 secretarias e corte de 3 mil cargos
» Sem nível superior: Neri Geller dorme em cela comum de penitenciária e defesa reforça inocência
» Vaga no Senado: Eleito, Jaime gasta R$ 2,5 milhões e fica com sobra de R$ 162
» Operação Capitu: Neri Geller é preso pela PF em desdobramento da Operação Lava Jato
» Campanha vitoriosa: Com R$ 5,5 milhões de despesas, Mendes gastou R$ 6,55 por voto
» Desdobramento da Lava Jato: Ministro Blairo Maggi evita comentar prisão de Neri Geller, ex-secretário do Mapa
» Reajuste de 16,38%: Senadores de MT votam a favor de aumento de salário de ministros
» Servidores dão prazo de uma semana para governo pagar RGA antes de nova greve geral
» Juíza manda anular estabilidades e veta a aposentadoria de vereador Jânio Calistro
» Transição de Governo: Redução de secretarias e corte de comissionados são metas de Mendes
 
Tempo
 
Copyright © 2008 Todos os direitos reservados ao NavegadorMT.