Cuiabá 20/10/2018
Busca:  
 Home
 Últimas Notícias
 Cidades
 Política
 Esporte
 Polícia
 Meio Ambiente
 Turismo
 Agronegócio
 Mundo
 Artigos
 Aúdio e Video
 Galeria de Fotos
 Quem Somos
 Fale Conosco
Tunel do Tempo
 
Aquecido "Triângulo da Lavagem"

 Denuncias
 Enquete


Politica
Selma diz que escolta não significa aliança com Pedro Taques - veja vídeo

“A questão é que existem pessoas ali com quem eu não me sentiria confortável. E não é o governador.


 

Após o governador Pedro Taques (PSDB) ter determinado à Casa Militar que forneça escolta  para a juíza aposentada Selma Arruda (PSL), a pré-candidata ao Senado nega que isso possa interferir em sua postura de não querer coligar com o tucano, enquanto ele estiver acompanhado de políticos com quem ela não se sente confortável para dividir palanque.

“A questão é que existem pessoas ali com quem eu não me sentiria confortável. E não é o governador. Particularmente, eu prezo muito a pessoa dele. Agora, a questão dele ter concedido a segurança foi mais humanitária porque ele já passou pelo mesmo problema, teve essa mesma negativa quando ele saiu da Procuradoria [Geral da República]. Ele mesmo me falou isso e não acredito que tenha relação com a coligação”, disse Selma Arruda em entrevista ao Jornal do Meio Dia da TV Vila Real desta quarta-feira (13).

Questionada se Taques mudando suas companhias - ele conta com apoio de deputados estaduais, alguns dos quais réus e investigados por corrupção -, haveria possibilidade de coligação, Selma deu sinais de abertura. “Daqui até lá, podemos conversar porque as companhias podem mudar”.

Leia também - Presidente da OAB diz que escolta à juíza Selma Arruda fere Constituição

Selma ressalta que não tem “ingerência” nas negociações sobre composições partidárias e que esta questão está a cargo do diretório estadual presidido pelo deputado federal Victório Galli e, nacionalmente, pelo deputado federal Jair Bolsonaro.

Conforme a pré-candidata, o partido tem se mobilizado para buscar coligações “que possam dar estrutura pra campanha, principalmente tempo de TV, sempre tomando cuidado de não fazer coligações que possam constranger os candidatos, coligações com partidos que tenham pessoas delatadas, denunciadas, processadas”, explicou. 

                  

 

Autor: Celly Silva, repórter do GD
Data: 13/06/2018
Noticias da Sessão: Politica
» Médicos, advogados, delegado e estrangeiro; Saiba quem são os 14 novos deputados estaduais
» Mauro escolhe primeiro nome para secretaria e promete demais definições até dezembro
» relação com prefeitos: “Ninguém vai sair sorrindo e depois me chamar de mentiroso”
» Oposição ou situação?: Deputados tucanos definirão posição no governo Mauro Mendes
» Partido Wellington Fagundes: Dono da maior bancada em 2014, PR é extinto na Assembleia Legislativa
» Saiba mais sobre a isenção de IR para quem ganha até 5 salários mínimos, proposta de Bolsonaro e Haddad
» Ranking da riqueza: Assembleia terá 12 deputados milionários; veja os bens dos 24 eleitos
» Escolha de secretariado: “Não dou Pasta para partidos; quem não der certo, game over”
» Haddad desiste de constituinte, diz que vai propor apenas emendas e se afasta de José Dirceu
» Bolsonaro afirma que ele é quem manda, desautoriza vice, descarta constituinte e diz que 'não existe' autogolpe
» Mauro Mendes vence em 128 cidades e tem mais votos que Taques em 2014
» Eleitos para Senado e Câmara: Mais votados, Nelson Barbudo e Selma Arruda surfaram na onda Bolsonaro
» Prefeito da coligação de WF apoia Mauro: "Tem competência e preparo"
» Veja o que acontece nos dias da última semana antes das eleições
» Novos números do voice: Em Mato Grosso, Mendes chega a 40%; WF tem 21% e Taques tem 19%
 
Tempo
 
Copyright © 2008 Todos os direitos reservados ao NavegadorMT.