Cuiabá 20/01/2019
Busca:  
 Home
 Últimas Notícias
 Cidades
 Política
 Esporte
 Polícia
 Meio Ambiente
 Turismo
 Agronegócio
 Mundo
 Artigos
 Aúdio e Video
 Galeria de Fotos
 Quem Somos
 Fale Conosco
Tunel do Tempo
 
Aquecido "Triângulo da Lavagem"

 Denuncias
 Enquete


Politica
Selma diz que escolta não significa aliança com Pedro Taques - veja vídeo

“A questão é que existem pessoas ali com quem eu não me sentiria confortável. E não é o governador.


 

Após o governador Pedro Taques (PSDB) ter determinado à Casa Militar que forneça escolta  para a juíza aposentada Selma Arruda (PSL), a pré-candidata ao Senado nega que isso possa interferir em sua postura de não querer coligar com o tucano, enquanto ele estiver acompanhado de políticos com quem ela não se sente confortável para dividir palanque.

“A questão é que existem pessoas ali com quem eu não me sentiria confortável. E não é o governador. Particularmente, eu prezo muito a pessoa dele. Agora, a questão dele ter concedido a segurança foi mais humanitária porque ele já passou pelo mesmo problema, teve essa mesma negativa quando ele saiu da Procuradoria [Geral da República]. Ele mesmo me falou isso e não acredito que tenha relação com a coligação”, disse Selma Arruda em entrevista ao Jornal do Meio Dia da TV Vila Real desta quarta-feira (13).

Questionada se Taques mudando suas companhias - ele conta com apoio de deputados estaduais, alguns dos quais réus e investigados por corrupção -, haveria possibilidade de coligação, Selma deu sinais de abertura. “Daqui até lá, podemos conversar porque as companhias podem mudar”.

Leia também - Presidente da OAB diz que escolta à juíza Selma Arruda fere Constituição

Selma ressalta que não tem “ingerência” nas negociações sobre composições partidárias e que esta questão está a cargo do diretório estadual presidido pelo deputado federal Victório Galli e, nacionalmente, pelo deputado federal Jair Bolsonaro.

Conforme a pré-candidata, o partido tem se mobilizado para buscar coligações “que possam dar estrutura pra campanha, principalmente tempo de TV, sempre tomando cuidado de não fazer coligações que possam constranger os candidatos, coligações com partidos que tenham pessoas delatadas, denunciadas, processadas”, explicou. 

                  

 

Autor: Celly Silva, repórter do GD
Data: 13/06/2018
Noticias da Sessão: Politica
» Insolência das contas: Veja benefícios que MT teria com decreto de calamidade financeira
» Lúdio vê crise criada por governo e cita renúncias de R$ 4 bilhões
» Nova estrutura: Jornalista Mauro Camargo é oficializado secretário adjunto de Comunicação
» Governo Mendes: Projeto da LDO entra em pauta na sessão desta terça da AL
» Diário Oficial: Mendes publica exoneração de 240 servidores de 15 pastas; veja a lista
» Mistério Tucano: Wilson Santos promete solução para zerar déficit do Estado
» LRF Estadual: Projeto cria poupança para investimento e veta bomba a sucessor
» Proposta que facilita posse de armas é enviada a Bolsonaro; saiba o que prevê
» Projeto Pronto: Mendes diz que novo Fethab destinará R$ 500 mi à infraestrutura
» Emenda Constitucional: Previdência, foro e aborto: saiba quais PECs Congresso pode votar
» Sob análise: Primeira-dama estuda reformulação do Núcleo de Ações Voluntárias
» Caixa vazio: Mendes escalona a folha e pagamento será finalizado no dia 30
» Cúpula definida: Coronel Assis é o novo comandante-geral da Polícia Militar
» Descentralização: Nomeado procurador-geral, Borges planeja expansão do Gaeco
» Casa dos Horrores: Salgadinhos vão custar R$ 20 mil durante recesso na Câmara Municipal de Cuiabá
 
Tempo
 
Copyright © 2008 Todos os direitos reservados ao NavegadorMT.