Cuiabá 20/06/2019
Busca:  
 Home
 Últimas Notícias
 Cidades
 Política
 Esporte
 Polícia
 Meio Ambiente
 Turismo
 Agronegócio
 Mundo
 Artigos
 Aúdio e Video
 Galeria de Fotos
 Quem Somos
 Fale Conosco
Tunel do Tempo
 
Aquecido "Triângulo da Lavagem"

 Denuncias
 Enquete


Politica
Selma diz que escolta não significa aliança com Pedro Taques - veja vídeo

“A questão é que existem pessoas ali com quem eu não me sentiria confortável. E não é o governador.


 

Após o governador Pedro Taques (PSDB) ter determinado à Casa Militar que forneça escolta  para a juíza aposentada Selma Arruda (PSL), a pré-candidata ao Senado nega que isso possa interferir em sua postura de não querer coligar com o tucano, enquanto ele estiver acompanhado de políticos com quem ela não se sente confortável para dividir palanque.

“A questão é que existem pessoas ali com quem eu não me sentiria confortável. E não é o governador. Particularmente, eu prezo muito a pessoa dele. Agora, a questão dele ter concedido a segurança foi mais humanitária porque ele já passou pelo mesmo problema, teve essa mesma negativa quando ele saiu da Procuradoria [Geral da República]. Ele mesmo me falou isso e não acredito que tenha relação com a coligação”, disse Selma Arruda em entrevista ao Jornal do Meio Dia da TV Vila Real desta quarta-feira (13).

Questionada se Taques mudando suas companhias - ele conta com apoio de deputados estaduais, alguns dos quais réus e investigados por corrupção -, haveria possibilidade de coligação, Selma deu sinais de abertura. “Daqui até lá, podemos conversar porque as companhias podem mudar”.

Leia também - Presidente da OAB diz que escolta à juíza Selma Arruda fere Constituição

Selma ressalta que não tem “ingerência” nas negociações sobre composições partidárias e que esta questão está a cargo do diretório estadual presidido pelo deputado federal Victório Galli e, nacionalmente, pelo deputado federal Jair Bolsonaro.

Conforme a pré-candidata, o partido tem se mobilizado para buscar coligações “que possam dar estrutura pra campanha, principalmente tempo de TV, sempre tomando cuidado de não fazer coligações que possam constranger os candidatos, coligações com partidos que tenham pessoas delatadas, denunciadas, processadas”, explicou. 

                  

 

Autor: Celly Silva, repórter do GD
Data: 13/06/2018
Noticias da Sessão: Politica
» Eleições: Botelho diz que deixará decisão sobre futuro político para 2020
» União se recusa a ser avalista de empréstimo de US$ 250 milhões do governo de MT
» NA DIVISA DE MT: Bolsonaro critica esquerda e diz que não atrapalhará quem produz
» Transporte Público: MPE abre inquérito e acompanha licitação lançada em Cuiabá
» Pinheiro aproxima poder público e população com programa “Prefeito no seu bairro”
» US$ 332 milhões: Governo aciona STF para garantir empréstimo com o Banco Mundial
» Greve da Educação: Dar aumento salarial é emitir um cheque sem fundo, diz Mauro
» Prefeito entrega mais 90 leitos de enfermaria e parque tecnológico de imagens do HMC
» Punição severa: OAB exclui advogados que foram secretários de Silval
» Santa Cruz de La Sierra: Mauro Mendes inicia negociação com Evo Moraes para comprar gás boliviano
» Prefeito mantém compromisso com servidores no pagamento dos salários dentro do mês trabalhado
» Na região Sul, prefeito entrega o primeiro Centro Educacional Infantil Cuiabano
» Desentendimento que segue: Vídeo mostra sessão na Câmara que termina em tapas
» us$ 250 milhões: Diretoria do Banco Mundial aprova empréstimo para Mato Grosso
» Na Educação: Governo Mendes encara a primeira greve em sua gestão
 
Tempo
 
Copyright © 2008 Todos os direitos reservados ao NavegadorMT.