Cuiabá 20/08/2018
Busca:  
 Home
 Últimas Notícias
 Cidades
 Política
 Esporte
 Polícia
 Meio Ambiente
 Turismo
 Agronegócio
 Mundo
 Artigos
 Aúdio e Video
 Galeria de Fotos
 Quem Somos
 Fale Conosco
Tunel do Tempo
 
Aquecido "Triângulo da Lavagem"

 Denuncias
 Enquete


Cidades
Enterrada viva: Por falta de oxigenação, bebê indígena pode ter sequelas graves

Estado da recém-nascida é considerado grave, mas estável; médicos tratam infecção generalizada


 

A recém-nascida enterrada viva pela bisavó em Canarana (838 km de Cuiabá) corre o risco de ter sequelas graves em razão da falta de oxigenação ao longo das 7h em que permaneceu embaixo da terra.

 

Conforme informações do diretor da Santa Casa de Misecórdia, Antônio Preza, a menina foi diagnosticada com um quadro de anoxia grave – falta de oxigênio no cérebro. 

 

“Isso pode determinar uma sequela grave, mas isso só saberemos com o desenvolvimento da criança”, explicou o médico.

 

O bebê, que é da etnia Kamayurá, chegou em Cuiabá na noite desta quarta-feira (6), e foi internada na Santa Casa de Misericórdia.

 

O problema atual é infecção generalizada. Ela foi enterrada, ficou horas respirando terra, e por isso o quadro de infecção – isso é que estamos tratando agora

De acordo com boletim médico, o bebê está com infecção generalizada, distúrbio de coagulação e apresentou uma hemorragia digestiva - que exigiu uma transfusão de sangue nesta quinta-feira (7).

 

O diretor explica que, agora, a prioridade é tratar a infecção generalizada da criança. “O problema atual é infecção generalizada. Ela foi enterrada, ficou horas respirando terra, e por isso o quadro de infecção. Isso é o que estamos tratando agora”, disse à reportagem. 

 

Segundo a unidade hospitalar, serão necessárias 24h de observação para emitir um novo boletim médico.

 

O caso

 

Segundo a denúncia, uma indígena de 15 anos teria dado à luz por volta do meio dia na terça-feira (5). O bebê foi enterrado no terreno da residência da família.

 

No local, a bisavó da garota confirmou o ato, dizendo que a criança teria nascido morta por ser prematura. Ela alegou que não comunicou a ninguém por ser este um costume da etnia.

 

Uma enfermeira da Casai (Casa de Saúde do Índio), ao assumir o expediente, soube do caso e avisou a polícia e o chefe da unidade. Em decorrência do tempo, o local foi isolado pela equipe policial para o trabalho da perícia técnica. Mas, ao escavarem, os policias ouviram o choro do bebê.

 

 



 

Autor: Midia News - CÍNTIA BORGES DA REDAÇÃO
Data: 07/06/2018
Noticias da Sessão: Cidades
» Sem receber, enfermeiros da Santa Casa deflagram greve em Cuiabá
» Tragédia: Pai tenta salvar o filho e os dois morrem afogados em rio
» Sorriso: Apostador de MT ganha R$ 282 mil na Lotofácil
» Sofria de câncer: Morre paciente que ficou com gaze na barriga
» Assembléia Itinerante: Participação de moradores supera expectativas em Poconé
» 1ª dama sorteia camisas da seleção e promove ação de patriotismo para crianças do Bom de Bola, Bom de Escola
» Audiência pública debate igualdade salarial de homens e mulheres
» Mutirão: Poconé recebe 15ª Assembleia Itinerante nesta quinta e sexta
» Concessão da rodoviária terá prazo de 25 anos e vencedora investirá R$ 30 mi
» Prefeitura de Cuiabá realiza processo seletivo simplificado para 3.785 vagas na área de Educação
» Em Rondonópolis: Adolescente de 16 anos morre após acidente entre Vectra e Corolla
» Começa, no Teatro Zulmira, 33º Encontro Nacional de Letras e Linguística
» Semob prepara operação de trânsito para festa de São Benedito
» Danos morais: Energisa é condenada em R$ 6 mil por não religar energia de consumidor
» Prefeitura e Seja disponibizam gratuitamente kits de antenas e conversores digitais à população de baixa renda
 
Tempo
 
Copyright © 2008 Todos os direitos reservados ao NavegadorMT.