Cuiabá 17/12/2018
Busca:  
 Home
 Últimas Notícias
 Cidades
 Política
 Esporte
 Polícia
 Meio Ambiente
 Turismo
 Agronegócio
 Mundo
 Artigos
 Aúdio e Video
 Galeria de Fotos
 Quem Somos
 Fale Conosco
Tunel do Tempo
 
Aquecido "Triângulo da Lavagem"

 Denuncias
 Enquete


Cidades
Após greve, reajuste de refeições na UFMT fica para 2019

Após a greve-geral deflagrada por estudantes da UFMT, a reitora Myrian Serra suspendeu a discussão sobre a nova política de alimentação estudantil até dezembro deste ano.


 

A reitora da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Myrian Serra, anunciou a suspensão da discussão sobre a implantação da nova “política de alimentação estudantil” até dezembro deste ano. Com isso, a decisão sobre o reajuste, ou não, do preço das refeições no Restaurante Universitário (RU) fica para 2019. A suspensão ocorre após os estudantes terem deflagrado greve geral e ocupado os blocos, com o apoio dos docentes, há mais de uma semana.

A proposta que foi anunciada para ser implantada este ano previa que a UFMT subsidiasse integralmente o pagamento das refeições servidas no Restaurante Universitário somente aos alunos de graduação com renda per capita familiar de até 1,5 salário mínimo e 50% do custo para estudantes de graduação presencial e pós-graduação.

Leia mais - Estudantes da UFMT deflagram greve geral contra reajuste de refeições - veja vídeo

Com isso, os estudantes com renda superior pagariam o valor de pouco mais de R$ 3 no café da manhã e R$ 11 nos almoços e jantares. No modelo atual, os universitários pagam R$ 0,25 no café da manhã e R$ 1 nos almoços e jantares, enquanto a UFMT subsidia R$ 3,05 e R$ 10,05 respectivamente.

A proposta causou a revolta dos alunos e a universidade chegou a recuar parcialmente da iniciativa anunciando que só ia retomar as discussões até que fossem concluídos os trabalhos de uma comissão formada por estudantes, técnicos administrativos e docentes, que debatia o assunto.

No entanto, em razão da greve estudantil com o apoio dos docentes (que também aprovaram o indicativo de greve), a UFMT recuou de discutir definitivamente o assunto ainda este ano e propôs a construção de uma nova política de alimentação a partir de 2019.

“Há um cenário de restrição orçamentária imposto às universidades públicas em nosso país. Embora atuemos contra isso no campo político e social, de forma imediata também precisamos readequar nossas despesas internas. Mas ouvimos da comunidade acadêmica sobre a importância de participar ativamente deste processo”, disse a reitora.

Reprodução

Estudantes ocuparam blocos em protesto 

Ainda segundo ela, os recursos das universidades públicas destinados a despesas de custeio vêm caindo seguidamente nos últimos anos. O orçamento de 2017 para custeio, por exemplo, caiu 4,5% em relação ao exercício anterior e isso tem impactado significativamente na situação financeira da instituição.

“Há uma mobilização das instituições federais de educação superior na tentativa de recuperar o fôlego financeiro para que possam cumprir seu papel social. Ao mesmo tempo, as instituições têm feito gestão administrativa para ajustar os seus gastos de forma a minimizar os impactos dessa realidade orçamentária”, disse.

A decisão de suspender o reajuste foi comunicada pela reitoria aos Comandos de Greve dos estudantes e Diretório Central dos Estudantes (DCEs) dos campi de Cuiabá, Várzea Grande, Sinop, Araguaia e Rondonópolis, para deliberação de modo que sejam encerradas as ocupações e retomadas as aulas. Os estudantes já foram comunicados e ainda avaliam quais as medidas a serem tomadas.

 

Autor: Karine Miranda, repórter do GD
Data: 16/05/2018
Noticias da Sessão: Cidades
» Denúncias de abuso: A pick-up Strada da família perdeu a direção e bateu numa árvore. As crianças sobreviveram e foram resgatadas.
» BR-070: Casal morre ao bater carro em árvore; crianças de 4 meses e 11 anos sobrevivem
» Homem morre ao bater em caminhão na estrada da Guia; vídeo
» Meu bicho e eu: ‘Carteiro amigão’ conquista os animais e faz sucesso com selfies na internet
» Prefeitura entrega a terceira passarela de pedestres na Avenida Fernando Corrêa
» Diversas Irregularidades: TCE proíbe prefeito de colocar Empresa Cuiabana de Saúde para administrar novo Pronto-Socorro
» Descaso: Com sinais de abandono, Casa de Bem Bem desaba 2 vezes em um ano
» Parque das Águas: Após rapida interdição na montagem de palco, show da cantora Marília Mendonça é confirmado em Cuiabá
» Supermercado em Sorriso tem depósito consumido por incêndio gerando pânico e correria
» Terceiro caso em 9 dias: Bebê de 11 meses morre afogada dentro de balde com água
» Telefone Mudo: Celulares ilegais serão bloqueados a partir de sábado em Mato Grosso
» Mobilidade Urbana: Cuiabá lança licitação para construir 2 viadutos ao custo de R$ 34 milhões
» Em março de 2019: Leilão de 4 aeroportos de Mato Grosso prevê investimentos de R$ 771 milhões
» Afogou-se em piscina: Após ser resgatado, bebê de 10 meses não resiste e morre
» Fogo e Fumaça: Incêndio destrói loja de estofados automotivos na Miguel Sutil
 
Tempo
 
Copyright © 2008 Todos os direitos reservados ao NavegadorMT.