Cuiabá 21/01/2018
Busca:  
 Home
 Últimas Notícias
 Cidades
 Política
 Esporte
 Polícia
 Meio Ambiente
 Turismo
 Agronegócio
 Mundo
 Artigos
 Aúdio e Video
 Galeria de Fotos
 Quem Somos
 Fale Conosco
Tunel do Tempo
 
Aquecido "Triângulo da Lavagem"

 Denuncias
 Enquete


Agronegocio
Produtores de algodão da Bahia decretam guerra ao Bicudo

Com o início do plantio de mais uma safra algodão no oeste da Bahia, a Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa)


 

Em evento, realizado na última sexta-feira (15), em Luís Eduardo Magalhães, produtores e técnicos estavam reunidos para demonstrar as principais estratégias de prevenção e combate à praga, que pode prejudicar a produtividade e reduzir o lucratividade, e em alguns pontos, até a perda total.

 

Os palestrantes do evento, os pesquisadores entomologistas da Embrapa Algodão, Dr. José Ednilson Miranda, e da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), Dr. Paulo Degrande, reforçaram sobre a gravidade do bicudo por ser uma praga de difícil controle. “O inseto tem um ciclo rápido de reprodução, em torno de 18 dias, e em uma única safra pode se ter até cinco gerações de insetos, provocando um crescimento exponencial da praga, dificultando o controle na lavoura de algodão, cujas estruturas florais ficam expostas por 150 dias para a reprodução do inseto”, apontou José Ednilson, da

 

Embrapa, ao reforçar a necessidade de medidas enérgicas de controle.

Para tornar mais abrangente e eficiente a atuação do programa, a Abapa vem trabalhando com 14 técnicos distribuídos em 18 núcleos produtivos no oeste e sudoeste baianos para orientação e suporte técnico. As equipes técnicas começam a monitorar por meio das armadilhas instaladas no período da entressafra das lavouras uma possível evolução da praga.

 

“Neste momento, os técnicos do programa entram em contato direto com o produtor ou com a equipe técnica para orientar o melhor momento de entrar com o controle químico contra o bicudo”, explica o coordenador do programa fitossanitário da Abapa, Antônio Carlos Araújo.

No oeste da Bahia, o incentivo ao controle químico vem prosseguido do respeito ao vazio sanitário e à destruição de restos de cultura ao longo do período de dois meses, entre os dias 20 de setembro a 20 de novembro.

 

Para o presidente da Abapa, Júlio Cézar Busato, o combate ao bicudo deve ser uma questão de prioridade de todos os produtores neste início do plantio de algodão. “As equipes do programa fitossanitário estão percorrendo e visitando os produtores que são os líderes dos núcleos para que eles possam influenciar os demais produtores para combater o bicudo. Não adianta um produtor fazer o dever de casa e o vizinho deixar o bicudo se proliferar”, explica.

 

"No ano passado, os produtores do oeste da Bahia chegaram alcançar uma produtividade recorde de 310 arrobas de algodão/hectare e houve redução da quantidade de inseticidas no campo e dano zero com o bicudo do algodoeiro na maioria das lavouras de algodão na safra 2016/2017”, afirma, ao acreditar em novo êxito dos produtores.

 

A reunião também promoveu palestras de orientação ao combate de doenças e pragas da soja, como a Helicoverpa armigera e Ferrugem Asiática, e contou com a participação do vice-presidente da Associação dos Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), Luiz Pradella, e o presidente da Aprosoja, Alan Juliani, e do coordenador do programa fitossanitário da soja, Armando Sá Correia, e do coordenador do Programa Fitossanitário da Bahia, Celito Breda.


 

Autor: PORTAL DO AGRONEGÓCIO
Data: 25/12/2017
Noticias da Sessão: Agronegocio
» De cada US$ 100 que o Brasil embolsou em 2017, mais de US$ 40 vieram do agro
» Blairo considera agricultura mais forte que antes e meta para 2018 é abrir mercados
» Produtores de algodão da Bahia decretam guerra ao Bicudo
» Café especial do Brasil bate recorde mundial no leilão do CoE Pulped Naturals
» Brasil lidera patentes de café, aponta relatório de agência da ONU
» Quatro regiões de Mato Grosso finalizam plantio da soja
» MPE investiga se uso de agrotóxicos está causando problemas de saúde em 6 cidades de MT
» Setor nega venda de carne com aditivo à Rússia
» Maior importador: Chineses chegam a MT para aprender sobre suinocultura e estreitar parcerias
» Mercado de carne bovina chinês no foco do Brasil e EUA
» Planejamento divulga boletim sobre cenário econômico de Mato Grosso
» Fila de navios para embarcar açúcar no Brasil aumenta a 47 na semana, diz Williams
» Rússia aumenta restrições à carne importada do Brasil
» Energia renovável: Etanol brasileiro pode substituir 13,7% do petróleo consumido no mundo
» Plantas daninhas resistentes aumentam custo de produção de soja
 
Tempo
 
Copyright © 2008 Todos os direitos reservados ao NavegadorMT.