Cuiabá 20/07/2018
Busca:  
 Home
 Últimas Notícias
 Cidades
 Política
 Esporte
 Polícia
 Meio Ambiente
 Turismo
 Agronegócio
 Mundo
 Artigos
 Aúdio e Video
 Galeria de Fotos
 Quem Somos
 Fale Conosco
Tunel do Tempo
 
Aquecido "Triângulo da Lavagem"

 Denuncias
 Enquete


Politica
Mauro Savi considera cobrança de contribuição voluntária absurda

A quitação do repasse é uma das condicionantes impostas pela sigla para a liberação dos políticos do grupo do ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes, para outros partidos.


 

O deputado estadual Mauro Savi (PSB) afirmou que não pagará a dívida cobrada pela direção estadual do partido por conta da contribuição voluntária. A quitação do repasse, que equivale a 10% do rendimento bruto do parlamentar, é uma das condicionantes impostas pela sigla para a liberação dos políticos do grupo do ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes, para outros partidos.

Savi classificou a hipótese como absurda e lembrou que a contribuição não é obrigatória. Por conta disso, não poderia ser imposta. “Condicionar [a desfiliação] a uma questão dessa é absurdo. Esse pagamento é opcional. Todos os partidos em que participei era opcional. Quando era dirigente do PR era opcional”.

O parlamentar explicou que a prática é comum na maioria das sigla, mas que isso passa por um acordo de cavalheiros e aconselhou o desafeto e atual presidente estadual do PSB, o deputado federal Valtenir Pereira, a buscar os recursos na Justiça.

“Isso é opcional, um acordo de cavalheiros praticado em quase todos os partidos para manter a estrutura. Ele chegou agora e botou isso na cabeça. Que ele que tome o dinheiro onde tomou o partido, na Justiça”.

A cobrança das contribuições voluntárias é mais um episódio da guerra interna no PSB, deflagrada com a destituição do deputado federal Fábio Garcia (sem partido) do comando estadual da sigla, depois da votação da Reforma Trabalhista, na Câmara Federal.

Estima-se que a dívida gerada por todos os quatro deputados estaduais com a contribuição é de R$ 230 mil. Além de Savi, foram eleitos deputados pelo PSB o atual presidente do Legislativo, Eduardo Botelho, o secretário-chefe da Casa Civil, Max Russi, e Oscar Bezerra.

 

Autor: Gláucio Nogueira, repórter de A Gazeta
Data: 25/12/2017
Noticias da Sessão: Politica
» Em Brasília: Mendes discute estratégias e finanças com cúpula do DEM
» Emanuel Pinheiro entrega 5° unidade do PSF restaurada
» Atual política de incentivos fiscais é apresentada em Câmara Temática
» Várzea Grande: Guilherme Maluf acompanha vistoria de obras de duplicação
» Wilson Santos apresenta cronograma para votação da LDO
» Coletiva do prefeito sobre a saúde municipal será às 14h nesta segunda-feira
» Primeira-dama repassa cobertores à prefeitura que destina a dezenas de entidades sociais
» FEEF é aprovado com substitutivo integral e três emendas
» Deputados analisam o Plano Diretor da Região Metropolitana do Vale do Rio Cuiabá
» Presidente do TCE-MT recebe a visita do prefeito de Rondonópolis
» Sem Quórum: Botelho teme faltosos na eleição e pode mudar sessões na AL
» CST do Geoparque de Chapada dos Guimarães elabora relatório final
» Ex-deputado confirma ter recebido R$ 50 mil gravado em vídeo de delator
» Deputados aprovam criação do fundo fiscal para arrecadar R$ 183 milhões
» Após casos de 'mau uso', CNJ proíbe que juízes façam manifestação política em redes sociais
 
Tempo
 
Copyright © 2008 Todos os direitos reservados ao NavegadorMT.