Cuiabá 19/10/2018
Busca:  
 Home
 Últimas Notícias
 Cidades
 Política
 Esporte
 Polícia
 Meio Ambiente
 Turismo
 Agronegócio
 Mundo
 Artigos
 Aúdio e Video
 Galeria de Fotos
 Quem Somos
 Fale Conosco
Tunel do Tempo
 
Aquecido "Triângulo da Lavagem"

 Denuncias
 Enquete


Politica
Mauro Savi considera cobrança de contribuição voluntária absurda

A quitação do repasse é uma das condicionantes impostas pela sigla para a liberação dos políticos do grupo do ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes, para outros partidos.


 

O deputado estadual Mauro Savi (PSB) afirmou que não pagará a dívida cobrada pela direção estadual do partido por conta da contribuição voluntária. A quitação do repasse, que equivale a 10% do rendimento bruto do parlamentar, é uma das condicionantes impostas pela sigla para a liberação dos políticos do grupo do ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes, para outros partidos.

Savi classificou a hipótese como absurda e lembrou que a contribuição não é obrigatória. Por conta disso, não poderia ser imposta. “Condicionar [a desfiliação] a uma questão dessa é absurdo. Esse pagamento é opcional. Todos os partidos em que participei era opcional. Quando era dirigente do PR era opcional”.

O parlamentar explicou que a prática é comum na maioria das sigla, mas que isso passa por um acordo de cavalheiros e aconselhou o desafeto e atual presidente estadual do PSB, o deputado federal Valtenir Pereira, a buscar os recursos na Justiça.

“Isso é opcional, um acordo de cavalheiros praticado em quase todos os partidos para manter a estrutura. Ele chegou agora e botou isso na cabeça. Que ele que tome o dinheiro onde tomou o partido, na Justiça”.

A cobrança das contribuições voluntárias é mais um episódio da guerra interna no PSB, deflagrada com a destituição do deputado federal Fábio Garcia (sem partido) do comando estadual da sigla, depois da votação da Reforma Trabalhista, na Câmara Federal.

Estima-se que a dívida gerada por todos os quatro deputados estaduais com a contribuição é de R$ 230 mil. Além de Savi, foram eleitos deputados pelo PSB o atual presidente do Legislativo, Eduardo Botelho, o secretário-chefe da Casa Civil, Max Russi, e Oscar Bezerra.

 

Autor: Gláucio Nogueira, repórter de A Gazeta
Data: 25/12/2017
Noticias da Sessão: Politica
» Médicos, advogados, delegado e estrangeiro; Saiba quem são os 14 novos deputados estaduais
» Mauro escolhe primeiro nome para secretaria e promete demais definições até dezembro
» relação com prefeitos: “Ninguém vai sair sorrindo e depois me chamar de mentiroso”
» Oposição ou situação?: Deputados tucanos definirão posição no governo Mauro Mendes
» Partido Wellington Fagundes: Dono da maior bancada em 2014, PR é extinto na Assembleia Legislativa
» Saiba mais sobre a isenção de IR para quem ganha até 5 salários mínimos, proposta de Bolsonaro e Haddad
» Ranking da riqueza: Assembleia terá 12 deputados milionários; veja os bens dos 24 eleitos
» Escolha de secretariado: “Não dou Pasta para partidos; quem não der certo, game over”
» Haddad desiste de constituinte, diz que vai propor apenas emendas e se afasta de José Dirceu
» Bolsonaro afirma que ele é quem manda, desautoriza vice, descarta constituinte e diz que 'não existe' autogolpe
» Mauro Mendes vence em 128 cidades e tem mais votos que Taques em 2014
» Eleitos para Senado e Câmara: Mais votados, Nelson Barbudo e Selma Arruda surfaram na onda Bolsonaro
» Prefeito da coligação de WF apoia Mauro: "Tem competência e preparo"
» Veja o que acontece nos dias da última semana antes das eleições
» Novos números do voice: Em Mato Grosso, Mendes chega a 40%; WF tem 21% e Taques tem 19%
 
Tempo
 
Copyright © 2008 Todos os direitos reservados ao NavegadorMT.