Cuiabá 19/04/2018
Busca:  
 Home
 Últimas Notícias
 Cidades
 Política
 Esporte
 Polícia
 Meio Ambiente
 Turismo
 Agronegócio
 Mundo
 Artigos
 Aúdio e Video
 Galeria de Fotos
 Quem Somos
 Fale Conosco
Tunel do Tempo
 
Aquecido "Triângulo da Lavagem"

 Denuncias
 Enquete


Politica
Mauro Savi considera cobrança de contribuição voluntária absurda

A quitação do repasse é uma das condicionantes impostas pela sigla para a liberação dos políticos do grupo do ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes, para outros partidos.


 

O deputado estadual Mauro Savi (PSB) afirmou que não pagará a dívida cobrada pela direção estadual do partido por conta da contribuição voluntária. A quitação do repasse, que equivale a 10% do rendimento bruto do parlamentar, é uma das condicionantes impostas pela sigla para a liberação dos políticos do grupo do ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes, para outros partidos.

Savi classificou a hipótese como absurda e lembrou que a contribuição não é obrigatória. Por conta disso, não poderia ser imposta. “Condicionar [a desfiliação] a uma questão dessa é absurdo. Esse pagamento é opcional. Todos os partidos em que participei era opcional. Quando era dirigente do PR era opcional”.

O parlamentar explicou que a prática é comum na maioria das sigla, mas que isso passa por um acordo de cavalheiros e aconselhou o desafeto e atual presidente estadual do PSB, o deputado federal Valtenir Pereira, a buscar os recursos na Justiça.

“Isso é opcional, um acordo de cavalheiros praticado em quase todos os partidos para manter a estrutura. Ele chegou agora e botou isso na cabeça. Que ele que tome o dinheiro onde tomou o partido, na Justiça”.

A cobrança das contribuições voluntárias é mais um episódio da guerra interna no PSB, deflagrada com a destituição do deputado federal Fábio Garcia (sem partido) do comando estadual da sigla, depois da votação da Reforma Trabalhista, na Câmara Federal.

Estima-se que a dívida gerada por todos os quatro deputados estaduais com a contribuição é de R$ 230 mil. Além de Savi, foram eleitos deputados pelo PSB o atual presidente do Legislativo, Eduardo Botelho, o secretário-chefe da Casa Civil, Max Russi, e Oscar Bezerra.

 

Autor: Gláucio Nogueira, repórter de A Gazeta
Data: 25/12/2017
Noticias da Sessão: Politica
» Emanuel quer nome de Cuiabá para vice de Wellington e Senado
» Por 5 a 0, Aécio vira réu em ação no Supremo
» Vaga deixada por Selma: TJ oficializa juiz Jorge Tadeu na Vara Contra o Crime Organizado
» Ex-aliados: “Escolho companheiros leais que ficam comigo, não adversários”
» R$ 180 milhões: Governo propõe que dinheiro arrecadado pelo Fundo Emergencial seja para a Saúde
» Prefeitura entrega 2 mil uniformes para garotas do Programa Siminina
» Atacadista: Após delação, Nadaf trabalha em empresa de citado na Ararath
» Abertura da Mini Fazendinha na Orla acontece nesta quarta-feira
» Mauro Mendes está pronto para disputar o governo, diz Júlio Campos - veja vídeo
» Saúde pública de Cuiabá é tema de reunião com vereadores da capital
» MPF sugere punição alternativa a Mendes por ofensas a juíz
» Vaza áudio de voo de Lula: "Manda este lixo janela abaixo aí"
» Lula deixa sindicato a pé e se entrega com 25 h de atraso
» Defesa de Lula vai ao STF para tentar impedir prisão de ex-presidente
» Selma Arruda disputará o Senado para fazer o que não conseguiu sendo juíza - vídeo
 
Tempo
 
Copyright © 2008 Todos os direitos reservados ao NavegadorMT.