Cuiabá 19/09/2018
Busca:  
 Home
 Últimas Notícias
 Cidades
 Política
 Esporte
 Polícia
 Meio Ambiente
 Turismo
 Agronegócio
 Mundo
 Artigos
 Aúdio e Video
 Galeria de Fotos
 Quem Somos
 Fale Conosco
Tunel do Tempo
 
Aquecido "Triângulo da Lavagem"

 Denuncias
 Enquete


Politica
Prefeito de Cuiabá se reúne com bancada para 'brigar' por emenda

O anúncio de destinar ao Estado parte da emenda coletiva de R$ 82 milhões, inicialmente prometida para equipar o novo pronto-socorro, motivou Emanuel Pinheiro agir para tentar impedir.


 

O prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB) afirmou que deve se reunir na próxima segunda-feira (30) para apresentar à bancada federal e ao governador Pedro Taques (PSDB) a documentação que especifica a necessidade da emenda coletiva de R$ 82 milhões para a compra de equipamentos do novo Pronto-Socorro de Cuiabá que ainda está em fase de construção.

“Eu vou apresentar todo o processo, a real situação da obra, a projeção e um planejamento de equipamentos, os custos e modelos de licitações para eles tomarem conhecimento”, disse o peemedebista.

A confusão começou na última semana quando a bancada federal, responsável por conseguir o recurso junto ao governo federal, entendeu que poderia promover mudança na destinação dos recursos no qual, seriam usados R$ 50 milhões para a quitação de repasses do Estado atualmente atrasados com diversos municípios e hospitais regionais.

Isso porque em junho deste ano, o governador Pedro Taques (PSDB) apresentou à bancada os números da saúde e pediu apoio para solucionar a crise financeira que gerou um déficit de R$ 162 milhões na área. Com o novo acordo, o Executivo Estadual passaria os outros R$ 30 milhões após o término da obra novo Pronto-Socorro da Capital.

“Eu conversei com vários membros da bancada, agora vamos ter uma reunião em Brasília na qual vamos esclarecer e resolver o imbróglio e garantir a emenda da bancada para equipar o pronto-socorro”, disse o prefeito.

Pinheiro ressaltou que os recursos não serão suficientes, mas a prefeitura deve arcar com o que faltar. “Talvez fique um pouco mais caro de R$ 5 a R$ 7 milhões e a prefeitura vai arcar com essa diferença, para poder garantir a instalação dos equipamentos”.

 

Autor: Janaiara Soares, repórter do GD
Data: 30/10/2017
Noticias da Sessão: Politica
» Afago na Indústria: Mendes afirma que se eleito vai reduzir alíquota de ICMS do diesel
» Juntas somos melhores: Virgínia Mendes defende trabalho conjunto para superação das dificuldades em Mato Grosso
» Adversários desesperados: “Não permita que seu voto seja manipulado por gente sem limites”
» Selma Arruda deixará a política se for derrotada e confirma 'divergências' com Galli
» Silval nega sociedade com Mendes e 'proíbe' uso de seu nome na campanha eleitoral
» Estado necessário: Mato Grosso precisa cortar as mordomias palacianas, defende Otaviano Pivetta
» "Quero ser uma grande parceira das mães e idosos", diz Virgínia
» MPF denuncia Silval, Riva, Eder e mais 4 por crimes contra o sistema financeiro
» Mendes diz que se vencer contemplará indicações políticas na gestão
» Corrida ao Senado em MT: Voice aponta Jaime com 35%; procurador com 20%; e Leitão com 19%
» Bolsonaro tem 'condições clínicas estáveis', diz boletim médico
» Disputa pelo Paiaguás: Em Várzea Grande, Mendes lidera com 36%; Taques tem 18%; e WF, 4%
» Aliado de peso: Percival declara apoio a Mauro: "Já ajudei e vou ajudar de novo"
» Chapa de Wellington Fagundes é a primeira a ser deferida pela Justiça Eleitoral
» Deputados apresentam projeto para sustar decreto de Taques
 
Tempo
 
Copyright © 2008 Todos os direitos reservados ao NavegadorMT.