Cuiabá 23/06/2018
Busca:  
 Home
 Últimas Notícias
 Cidades
 Política
 Esporte
 Polícia
 Meio Ambiente
 Turismo
 Agronegócio
 Mundo
 Artigos
 Aúdio e Video
 Galeria de Fotos
 Quem Somos
 Fale Conosco
Tunel do Tempo
 
Aquecido "Triângulo da Lavagem"

 Denuncias
 Enquete


Agronegocio
Demanda crescente pelo cacau no final do ano pode dar suporte aos preços

Caso a produção da commodity não consiga suprir às necessidades de consumo, que aumentam nos próximos meses, cotações têm espaço para valorização


 

O cacau inicia um novo ano-safra, após seus preços acumularem queda de 26% no anterior, com perspectivas positivas para a produção mundial, embora dificilmente esta repetirá os números excepcionais de 2016/17.

 

“Embora haja um consenso de que a produção mundial de cacau em 2017/18 dificilmente atingirá o recorde estabelecido na temporada anterior, ano de clima excepcionalmente bom para a commodity, os primeiros relatos e acompanhamentos da safra indicam bons rendimentos”, avalia o analista de mercado da INTL FCStone, Fábio Rezende.

 

No lado da demanda, boas margens devem incentivar a moagem, enquanto que os feriados de final de ano, o maior crescimento econômico e a valorização do euro podem dar vigor ao consumo final. “Tal comportamento tende a dar sustentação aos preços dos produtos secundários (i.e. pasta, manteiga e pó de cacau), incentivando a compra de amêndoas para moagem”, ressalta o analista Rezende.

 

Neste trimestre, ainda segundo análise da INTL FCStone, a margem de transformação do cacau em amêndoas nos produtos secundários já inicia nas máximas dos últimos anos em diversas regiões do globo.

 

Nos Países Baixos, que reveza a posição de principal processador de cacau com a Costa do Marfim, a margem, medida pelo ratio combinado (razão dos preços dos secundários com o da amêndoa), é de 1,485, 15,9% acima da média dos últimos cinco anos. Nos Estados Unidos, os incentivos são ainda maiores, com o ratio combinado atingindo 1,534, 17,9% a mais que a média. Maior crescimento econômico e fortalecimento do euro pode prorrogar as melhores margens.

 

“Conclui-se, portanto, que existe um risco de alta para o preço do cacau, diante da possibilidade da produção não atingir as expectativas em um cenário em que a demanda deve continuar forte e crescente”, resume Fábio Rezende. Entretanto, os primeiros relatos da safra e as boas perspectivas climáticas apontam para uma boa produção, e um provável superávit no saldo do balanço de oferta e demanda se repetindo na temporada 2017/18, o que manteria as cotações sob pressão.

 

Autor: Portal do Agronegócio
Data: 16/10/2017
Noticias da Sessão: Agronegocio
» Frango e suíno subvertem curva sazonal de preço das carnes
» Soja transgênica modernizou a economia brasileira
» Tabela da ANTT dobrou preço do frete e deverá ser alterada, diz Blairo Maggi
» Confinamento de bovinos crescerá em Mato Grosso, prevê IMEA
» Coreia do Sul abriu mercado para a carne suína do Brasil, diz ministro
» Na Turquia, Blairo Maggi trata da exportação de carne bovina congelada e bois vivos
» IBGE estima alta de 32,5% na produção de trigo
» Céleres eleva estimativa de safra de soja do Brasil a recorde de 117,8 mi t
» Mato Grosso exporta us$ 5,2 bilhões em produtos agropecuários nos primeiros quatro meses do ano
» Banco do Brasil prorroga parcelas de custeio e investimento para avicultura e suinocultura
» Carne de frango: em março, o maior volume em 14 meses
» Brasil vai ampliar exportação de carne para China e iniciar embarques à Indonésia e Coréia do Sul, disse Maggi
» Empresas do Agronegócio conseguem financiamento de R$ 199 milhões para investimentos em Mato Grosso
» Processamento de soja cresce 5,5% em fevereiro na comparação anual
» Clima será decisivo para o milho safrinha no Centro-Oeste
 
Tempo
 
Copyright © 2008 Todos os direitos reservados ao NavegadorMT.