Cuiabá 23/07/2018
Busca:  
 Home
 Últimas Notícias
 Cidades
 Política
 Esporte
 Polícia
 Meio Ambiente
 Turismo
 Agronegócio
 Mundo
 Artigos
 Aúdio e Video
 Galeria de Fotos
 Quem Somos
 Fale Conosco
Tunel do Tempo
 
Aquecido "Triângulo da Lavagem"

 Denuncias
 Enquete


Meio Ambiente
Nova fenda aparece em plataforma na Antártida

Descoberta é feita apenas uma semana depois de desprendimento de iceberg gigantesco na região.


 

Pesquisadores detectaram uma nova fenda na plataforma de gelo Larsen C na Antártida, apenas uma semana depois que um dos maiores icebergs já vistos, de com cerca de 5,8 mil metros quadrados, se desprendeu da plataforma.

 

Cientistas do Projeto Midas, que monitoram a calota de gelo e detectaram o primeiro rompimento, dizem que a nova fenda parece estar se estendendo em direção ao norte.

Eles apontam que, embora essa nova fenda provavelmente se volte para a área costeira da plataforma, criando um pequeno iceberg, existe o risco de ela continuar em direção à elevação de gelo Bawden, um ponto crucial para manter a plataforma estável.

 

"Vemos uma nova fenda, de cerca de 6 quilômetros, que segue em direção a norte da região complexa de rachaduras, que se formaram antes de o iceberg se desprender", afirma Adrian Luckman, professor de glaciologia da Universidade de Swansea, que lidera a pesquisa do Projeto Midas.

 

Os pesquisadores continuarão a monitorar a nova fenda e dizem que ainda não há motivo para grande preocupação. Atualmente, a fenda está "parada" em uma região de gelo mais macio.

A nova fenda aparece após a notícia de que um iceberg colossal, chamado A68, se separou da mesma plataforma de gelo Larsen C na semana passada.

 

O iceberg se encontra agora à deriva no Mar de Weddell, tendo deixado a plataforma de gelo 12% menor.

"Rompimentos de icebergs fazem parte de um ciclo natural e não são motivo de preocupação", diz Bryn Hubbard, diretor do centro de glaciologia da Universidade Aberystwyth e pesquisador da Midas. "Não há nada incomum no fato de um iceberg ser formado a partir de um rompimento."

 

A neve cai no continente, compactando em gelo, que flui constantemente para o oceano. Como resultado, a plataforma de gelo cresce em média 700 metros por ano. Em algum momento, uma parte se separa, e a plataforma começa a crescer de novo.

Entretanto, problemas podem surgir se a ruptura A68 ou novas fendas fizerem com que a plataforma de gelo Larsen C se torne instável e se desintegre, como Larsen A fez em 1995, seguida pela Larsen B em 2002.

 

Os cientistas atribuem esses colapsos e o recuo de várias plataformas de gelo antárticas nas últimas décadas ao aquecimento global.

Calotas de gelo marinho são importantes porque contém os glaciais interiores. A preocupação é que, se Larsen C colapsar, o gelo dos glaciais fluirá para o mar, se derretendo e elevando os níveis dos oceanos.

 

No entanto, Hubbard diz que os cientistas não estão muito preocupados com uma desintegração da plataforma de gelo Larsen C neste momento. "Você pode esperar alguma instabilidade de curto prazo, considerando que uma grande parte se rompeu", explica.

Ele diz que existe o risco de novas fendas, mas ressalta que "modelos indicam que a plataforma de gelo ainda continuará estável após a formação do iceberg".

 

Embora a pesquisa sobre mudanças climáticas tenha se desenvolvido até o ponto de ser possível conectar eventos climáticos específicos à probabilidade de terem sido resultado de mudanças climáticas, Hubbard explica que o caso desse iceberg "é um processo completamente normal".

"Não podemos dizer definitivamente se tem ou não a ver com as mudanças climáticas", frisa.


 

Autor: DO TERRA NOTICIAS
Data: 25/07/2017
Noticias da Sessão: Meio Ambiente
» Holanda: Porto de Roterdã comunica vazamento 'considerável' de óleo
» Indígenas do Xingu falam sobre mudanças climáticas em documentário precioso
» Grande Barreira de Corais resistiu a cinco eventos de quase extinção, diz estudo
» Após seis anos de seca severa no Nordeste, chuva muda a paisagem
» Acrismat realiza workshop para debater o contexto ambiental e resíduos agroindustriais
» Estudo aponta alta contaminação de peixes por mercúrio em todas as bacias hidrográficas do AP
» Cientistas revelam níveis tóxicos de arsênico em poços da bacia do Amazonas
» Brasil tem, sim, terremotos - e há na história registro até de tremores com 'pequenos tsunamis'
» Por que Brasil se opõe à Europa em corte de emissões de CO2 por navios
» Da China chegam boas notícias para o setor ambiental
» A estreita conexão entre fome, perda de biodiversidade e mudanças do clima
» A estreita conexão entre fome, perda de biodiversidade e mudanças do clima
» Mergulhador filma 'mar de lixo' em ilha vizinha a Bali
» Frio extremo na Europa contrasta com onda de calor no Ártico
» Infração ambiental: Irmão de Silval tem ação prescrita e se livra de multa de R$ 109 mil
 
Tempo
 
Copyright © 2008 Todos os direitos reservados ao NavegadorMT.