Cuiabá 20/08/2017
Busca:  
 Home
 Últimas Notícias
 Cidades
 Política
 Esporte
 Polícia
 Meio Ambiente
 Turismo
 Agronegócio
 Mundo
 Artigos
 Aúdio e Video
 Galeria de Fotos
 Quem Somos
 Fale Conosco
Tunel do Tempo
 
Aquecido "Triângulo da Lavagem"

 Denuncias
 Enquete


Meio Ambiente
Projeto pega lixo aproveitável em condomínios

A ideia é recolher principalmente óleo, garrafa pet, alumínio, papel e papelão, vidro, esponja, escova de dente e embalagem de creme dental.


 

Projeto humanístico e ambiental, realizado há 30 anos em Cuiabá por amigos empreendedores interessados em divulgar respeito à natureza, amor, saber, simplicidade, amizade e realização, está fazendo há 60 dias coleta de lixo seletivo em condomínios da capital.

A ideia é recolher principalmente óleo, garrafa pet, alumínio, papel e papelão, vidro, esponja, escova de dente e embalagem de creme dental.

Tudo isso é levado para o Espaço Nassar, que é uma área arborizada, no bairro Coophema, na região do Coxipó.

Nassar é uma sigla, formada pelas iniciais referentes à filosofia do projeto.

O consultor ambiental Cedier Non, responsável pela ação "Passo e Pego", de coleta de itens recicláveis em condomínios, explica que o condomínio que quiser incentivar moradores a aderirem à cultura de separação de lixo basta ligar para (65) 3661-8642 ou mandar mensagem no e-mail nassar.sfu@gmail.com.

O "Passo e Pego" é uma das iniciativas de um projeto maior que é o "Verde Vivo - o mundo precisa". 
De acordo com Cedier, todos já sabem que acúmulo de lixo é grave problema social e ambiental, mas poucos estão sensíveis à causa e o "Passo e Pego" quer que as pessoas deem um passo à frente nesta questão, uma vez que a Prefeitura da capital mantém poucos pontos de coleta seletiva na capital.

Ele ressalta a importância de campanha educativas nesse sentido, mas lamenta que sejam bastante raras. "Nas escolas, isso já está mudando, mas em geral a gente não vê falar nisso como deveríamos", comenta.
Pelo menos 3 condomínios de Cuiabá já aderiram ao "Passo e Pego".

Facebook

Cortina jogada no lixo virou bolsas

"Antes as pessoas levavam lixo até a gente, agora estamos indo buscar", reforça Cedier.
Ele lembra que diversos objetos que jogamos fora podem ser facilmente reciclados e reutilizados. "A esponja por exemplo, adicionada a PVC novo, vira banco de praça e outros produtos, ou seja, volta à sociedade como benefício".

O Espaço Nassar, sempre nessa linha humanística e ambiental, tem outros projetos, como o "Luxo sem Lixo". Neste caso, artesãs remuneradas fazem bolsas, aventais, jogo italiano e outras peças decorativas com tecidos que haviam sido jogados fora.

Facebook

E aventais.

No momento, dentro do "Luxo sem Lixo", as artesãs estão trabalhando na coleção "Alma Jeans" e pedem que não joguem calças e outra peças fora, porque viram produtos.

O Espaço Nassar tem também capoeira, coral, aulas de inglês, aeróbica e pilates.

Mais informações aqui.

 

Autor: Keka Werneck, repórter do GD
Data: 17/07/2017
Noticias da Sessão: Meio Ambiente
» Ibama estabelece uma semana para empresa limpar costa de SP após queda de contêineres no mar
» Ondas de até 4 metros animam surfistas na Praia de Camburi, em Vitória
» Após 8 dias, incêndio em parque estadual é extinto
» Gráficos mostram como a Terra ficou mais quente nos últimos 100 anos
» Fogo na Serra Ricardo Franco já consumiu quase 5,5 mil campos de futebol; fotos e vídeos
» Verão escaldante no sul da Europa provoca hospitalizações e mortes
» Em dois anos, cerrado perdeu o equivalente a três vezes a área do DF
» Poluição ambiental: Só duas fábricas ainda mantêm o amianto no Brasil
» Bombeiros não conseguem atender 45% dos chamados de incêndios florestais
» MP entra com ação para impedir construção em área de proteção de Jericoacoara
» Reino Unido anuncia plano para acabar com carros a gasolina ou diesel até 2050
» Nova fenda aparece em plataforma na Antártida
» Os efeitos das mudanças climáticas no Ártico; fotos
» Projeto pega lixo aproveitável em condomínios
» Iniciativa busca manter acordo sobre mudanças climáticas nos EUA
 
Tempo
 
Copyright © 2008 Todos os direitos reservados ao NavegadorMT.