Cuiabá 22/06/2017
Busca:  
 Home
 Últimas Notícias
 Cidades
 Política
 Esporte
 Polícia
 Meio Ambiente
 Turismo
 Agronegócio
 Mundo
 Artigos
 Aúdio e Video
 Galeria de Fotos
 Quem Somos
 Fale Conosco
Tunel do Tempo
 
Aquecido "Triângulo da Lavagem"

 Denuncias
 Enquete


Politica
Dono da JBS gravou Aécio Neves pedindo R$ 2 milhões, diz jornal

A gravação faz parte do material da delação premiada de Joesley e de seu irmão, Wesley Batista, fecharam com a PGR na operação Lava Jato.


 

O dono do frigorífico JBS Joesley Batista entregou à Procuradoria-Geral da República (PGR) uma gravação do senador Aécio Neves (PSDB-MG) pedindo a ele R$ 2 milhões. No áudio, com duração de cerca de 30 minutos, o presidente nacional do PSDB justifica o pedido dizendo que precisava da quantia para pagar sua defesa na Lava Jato. A informação é do jornal "O Globo".

Leia também:
Dono da JBS gravou Temer dando aval para comprar silêncio de Cunha

Aécio indicou um primo dele para receber o dinheiro, e a entrega foi filmada pela Polícia Federal. A PF também rastreou o caminho do dinheiro, que depois foi depositado em uma empresa do também senador tucano Zeze Perrella.

A gravação faz parte do material da delação premiada de Joesley e de seu irmão, Wesley Batista, fecharam com a PGR na operação Lava Jato.

Nem Aécio nem Perrella se manifestaram sobre o assunto até o momento.

Segundo o jornal, Aécio e Joesley se encontraram em São Paulo, no Hotel Unique, em 24 de março. Antes, a irmã do senador, Andréa Neves, já havia abordado o empresário por telefone e WhatsApp sobre o pedido e afirmando que o criminalista Alberto Toron seria o defensor de Aécio. Os procuradores tiveram acesso às mensagens entre Joesley com Andréa.

No hotel, o empresário perguntou a Aécio quem pegaria o dinheiro, o senador respondeu: "Tem que ser um que a gente mata ele antes de fazer delação. Vai ser o Fred [primo de Aécio] com um cara seu. Vamos combinar o Fred com um cara seu porque ele sai de lá e vai no cara. E você vai me dar uma ajuda do c*****".

O primo de Aécio, Frederico Pacheco de Medeiros, foi diretor da Cemig, nomeado por Aécio, e um dos coordenadores da campanha do tucano a presidente em 2014.

Quem entregou o dinheiro a Fred foi o diretor de Relações Institucionais da JBS Ricardo Saud. Ele também é delator junto com Wesley, Joesley e mais quatro pessoas. Foram feitas quatro entregas de R$ 500 mil cada uma e a PF filmou uma delas.

 

Autor: G1
Data: 18/05/2017
Noticias da Sessão: Politica
» Prefeita Thelma e vice Osmar vão a Brasília buscar recursos para estradas e pontes
» Oscar Bezerra participa da assinatura de acordos entre Governo Estadual, Federal e ONU
» Após reunião, PM garante ação estratégica no Sol Nascente e região
» Parcerias: Estado, ONU e agência federal fecham acordos para alavancar infraestrutura de Mato Grosso
» Primeira baixa: Pivetta se desfilia do PSB após retorno de Valtenir
» Botelho visita Hospital de Câncer e recebe reivindicações
» MP entra com ação contra Silval, Riva e Bosaipo por desvio de R$ 693 mil
» Gastos com publicidade: Justiça Eleitoral cassa mandato da prefeita Lucimar Campos
» Doleiro Lúcio Funaro diz que Temer sabia de propinas na Petrobras
» Governador Pedro Taques sofre mal-estar em SP e passa por exames após suspeita de pneumonia
» Mirou Paiaguás: Janaina: “Gostaria de ser a primeira mulher a governar o Estado”
» PF vê indícios de corrupção e pede mais 5 dias para concluir inquérito sobre Temer
» Congresso tenta manter votações na semana em que STF decide prisão de Aécio
» Disputa em 2018: “A saúde que me faltava já tenho de volta”, diz Júlio Campos
» Planalto chama Joesley de 'bandido' e diz que Temer o processará na Justiça
 
Tempo
 
Copyright © 2008 Todos os direitos reservados ao NavegadorMT.