Cuiabá 18/06/2018
Busca:  
 Home
 Últimas Notícias
 Cidades
 Política
 Esporte
 Polícia
 Meio Ambiente
 Turismo
 Agronegócio
 Mundo
 Artigos
 Aúdio e Video
 Galeria de Fotos
 Quem Somos
 Fale Conosco
Tunel do Tempo
 
Aquecido "Triângulo da Lavagem"

 Denuncias
 Enquete


Meio Ambiente
Poluição afeta vida aquática na Represa Billings, em SP

Pesquisa da USP aponta para uma grande concentração de medicamentos anticoncepcionais que chegam na água da Billings pelo esgoto.


 

poluição fez diminuir a quantidade de peixes na Represa Billings, na Zona Sul de São Paulo. No lugar da vida aquática, atualmente é fácil encontrar carcaças de carros abandonados no manancial.

A represa é cercada por invasões tanto do lado de São Paulo quanto dos municípios do ABC, o que significa esgoto indo direto para a água. “Muita gente deixou de viver da pesca e passou a trabalhar fora, para manter a família. Porque o peixe está escasso, cada vez mais escasso”, disse a líder comunitária Anatália Rocha, moradora da Ilha do Bororé, no extremo sul da cidade.



Maria Necy é mulher de um ex-pescador. “Ele pescava para a gente poder viver, comer. Acabou o peixe. Tanto que ele não vem mais. A gente se virou e abriu um comércio.”

E é justamente para entender os efeitos da poluição na vida aquática da represa que um grupo de pesquisadores da Universidade de São Paulo vem estudando, há mais de dez anos, algumas espécies encontradas na Billings.

“Em ambientes impactados, como o reservatório Billings, há uma grande tendência de dar uma queda na abundancia dos animais, ou seja, a diversidade cai”, disse o biólogo Carlos Eduardo Tolussi.

Poucas espécies resistem a tanta sujeira. Os lambaris são algumas dessas exceções. “A gente consegue dizer que esses animais têm o que a gente chama de plasticidade”, disse a coordenadora da pesquisa, Renata Guimaraes Moreira Whitton. “Então significa que eles conseguem ajustar o seu organismo de acordo com a condição do meio, alterando o período reprodutivo, alterando concentração de alguns hormônios, número de ovos, então tem algumas estratégias.”



A pesquisa aponta para uma grande concentração de medicamentos anticoncepcionais que chegam na água da Billings pelo esgoto. Isso afeta o equilíbrio ambiental. “Esses animais, a partir do momento que eles passam a produzir hormônios femininos, eles deixam de produzir os hormônios que vão garantir o processo de maturação do espermatozoide. E com isso a reprodução pode vir a falhar”, afirmou a bióloga Aline Dal’Olio Gomes.

 



 

Autor: Por Filippo Mancuso, TV Globo
Data: 27/04/2017
Noticias da Sessão: Meio Ambiente
» Indígenas do Xingu falam sobre mudanças climáticas em documentário precioso
» Grande Barreira de Corais resistiu a cinco eventos de quase extinção, diz estudo
» Após seis anos de seca severa no Nordeste, chuva muda a paisagem
» Acrismat realiza workshop para debater o contexto ambiental e resíduos agroindustriais
» Estudo aponta alta contaminação de peixes por mercúrio em todas as bacias hidrográficas do AP
» Cientistas revelam níveis tóxicos de arsênico em poços da bacia do Amazonas
» Brasil tem, sim, terremotos - e há na história registro até de tremores com 'pequenos tsunamis'
» Por que Brasil se opõe à Europa em corte de emissões de CO2 por navios
» Da China chegam boas notícias para o setor ambiental
» A estreita conexão entre fome, perda de biodiversidade e mudanças do clima
» A estreita conexão entre fome, perda de biodiversidade e mudanças do clima
» Mergulhador filma 'mar de lixo' em ilha vizinha a Bali
» Frio extremo na Europa contrasta com onda de calor no Ártico
» Infração ambiental: Irmão de Silval tem ação prescrita e se livra de multa de R$ 109 mil
» Ibama multa mineradora em R$ 20 milhões e embarga instalações no Pará
 
Tempo
 
Copyright © 2008 Todos os direitos reservados ao NavegadorMT.