Cuiabá 14/12/2017
Busca:  
 Home
 Últimas Notícias
 Cidades
 Política
 Esporte
 Polícia
 Meio Ambiente
 Turismo
 Agronegócio
 Mundo
 Artigos
 Aúdio e Video
 Galeria de Fotos
 Quem Somos
 Fale Conosco
Tunel do Tempo
 
Aquecido "Triângulo da Lavagem"

 Denuncias
 Enquete


Meio Ambiente
UNIDADES DE CONSERVAÇÃO: MPE realiza ato público em defesa das reservas Ricardo Franco e Roosevelt
 

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPE) realiza nesta quinta-feira (27), às 9 horas, na sede da Procuradoria-Geral de Justiça, um ato público em defesa das unidades de conservação Parque Serra de Ricardo Franco (em Vila Bela da Santíssima Trindade) e Reserva Extrativista (Resex) Guariba-Roosevelt, localizada entre os municípios de Colniza e Aripuanã, extremo norte do Estado.



A mobilização do MPE mostra a preocupação da instituição em manter a preservação destas duas importantes Unidades de Conservação, alvos de decretos da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT). Em dezembro de 2016 a ALMT aprovou o decreto nº 51 que sustou o decreto governamental nº 59/2015, reduzindo a área da Resex em  cerca de 100 mil hectares.



No dia 19 de abril deste ano a AL aprovou, em primeira votação, o decreto legislativo nº 02, que extingue o Parque Estadual Serra Ricardo Franco, o qual possui 158.620 hectares. Assinado por “lideranças partidárias”, o projeto já passou pela Comissão de Meio Ambiente, onde foi aprovado, pela primeira votação em plenário, e agora segue para Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR).



A Assembleia Legislativa, por meio de decretos, tem feito um verdadeiro ataque às Unidades de Conservação do Estado. Primeiro, reduziu quase 100 mil hectares da reserva Roosevelt, a única Reserva Extrativista de população tradicional  do Estado de  Mato Grosso. Agora quer extinguir o Parque Serra de Ricardo Franco. O MPE entende que a redução da reserva é um “retrocesso ambiental” que poderá causar danos à natureza e a comunidade extrativista que mora na região”, destacou a promotora de Justiça Ana Luiza Peterlini.

 

 

 



O ato público, promovido pela 15ª Promotoria de Meio Ambiente e as Promotorias de Vila Bela da Santíssima Trindade e Aripuanã, contará com a participação de diversas instituições ambientalistas, universidades, e a comunidade em geral. “É um ato para mostrar que o Ministério Público e a sociedade se preocupam com a defesa ambiental e que este é de fato o verdadeiro interesse público que deve ser tutelado pelo Estado e não o interesse de determinadas pessoas”, destacou a promotora. 

Autor: MP - Assessoria de Imprensa
Data: 27/04/2017
Noticias da Sessão: Meio Ambiente
» Por que desprendimento de iceberg gigante na Patagônia intriga cientistas
» Estudo liga desaceleração da Terra a aumento de terremotos e prevê mais tremores devastadores em 2018
» A inovadora máquina que absorve CO2 da atmosfera e o transforma em um gás com valor econômico
» Brasil ganha reforço de R$ 420 milhões para combate ao desmatamento
» Dióxido de carbono atinge nível recorde
» Desastres naturais: Mais 19 municípios do RS têm emergência reconhecida por causa de vendavais
» Desmatamento na Amazônia caiu 16% no último ano, diz ministro do Meio Ambiente
» Termina período proibitivo para queimadas em Mato Grosso
» ICMBio cria reservas particulares do patrimônio natural em São Paulo e no Paraná
» Proibição à pesca é diferenciada em 17 rios de divisa com Mato Grosso
» Novo relatório da ONU define caminhos para um planeta livre de poluição
» Piracema começa neste domingo nos rios de MT; multas podem passar de R$ 100 mil
» Brasil registra média de 78 milhões de raios por ano, diz Inpe
» Qual efeito de mais CO2 na atmosfera para Amazônia?
» Governo vai revogar decreto que extinguia Renca; área voltará a ficar sob proteção
 
Tempo
 
Copyright © 2008 Todos os direitos reservados ao NavegadorMT.