Cuiabá 24/06/2017
Busca:  
 Home
 Últimas Notícias
 Cidades
 Política
 Esporte
 Polícia
 Meio Ambiente
 Turismo
 Agronegócio
 Mundo
 Artigos
 Aúdio e Video
 Galeria de Fotos
 Quem Somos
 Fale Conosco
Tunel do Tempo
 
Aquecido "Triângulo da Lavagem"

 Denuncias
 Enquete


Politica
Efeito propina: “Por minha vontade, sairia; ficar significa um enorme esforço”

Ministro Blairo Maggi afirmou ainda ter compromissos a cumprir com agronegócio do País


 

Após ter sido citado por delatores da Odebrecht, o ministro da Agricultura, Blairo Maggi (PP), afirmou que se dependesse dele deixaria o comando da Pasta. Entretanto, disse ainda ter missões a cumprir com o setor do agronegócio.

 

Os ex-executivos da empreiteira colocam Blairo como um dos supostos beneficiários de propinas em depoimento da Operação Lava Jato.

 

Em seu Facebook, o ministro disse não ser fácil passar por uma “acusação injusta”.

 

“Tenho muitos assuntos sendo tratados, inclusive o caso da carne, onde temos que nos reposicionar. Pela minha simples vontade, sairia. Ficar significa um enorme esforço íntimo. Não é fácil passar por uma acusação injusta”, disse na publicação.

 

“Mas tenho um setor inteiro que confia no meu trabalho e não pode ser mais afetado neste momento”, afirmou.

 

Tenho um setor inteiro que confia no meu trabalho e não pode ser mais afetado neste momento

O ministro voltou a criticar a citação de seu nome. Disse que o depoimento dos delatores são “inconsistentes” e que quer ver o assunto esclarecido o mais rápido possível.

 

Anteriormente, ele já havia dito ter sido pego de surpresa com o episódio e que se sentia “derrotado”.

 

“O depoimento do delator é inconsistente e cheio de contradições em relação a mim. Estou levantando todas as informações e o farei com a maior transparência. Estou no time dos políticos que querem ver este assunto esclarecido o mais rápido possível”, disse o ministro.

 

Recentemente, circulou na imprensa nacional que Blairo seria um dos ministros citados nas delações da Odebrecht que o presidente da República, Michel Temer (PMDB), avalia exonerar.

 

A delação

 

Em acordos de delação premiada firmados com o Ministério Público Federal (MPF), Antônio Pacífico Ferreira, diretor superintendente para as Áreas Norte, Nordeste e Centro Oeste da Odebrecht, e Pedro Augusto Carneiro Leão Neto, diretor de contratos da construtora, apontaram pagamento de R$ 12 milhões para Blairo - por meio de seu ex-secretário Eder Moraes. O valor teria sido utilizado para custear a campanha do então governador de Mato Grosso à reeleição, no ano de 2006.

 

Cinco cópias de documentos comprovariam os repasses de propina ao ministro por parte da construtora Odebrecht.

 

Os documentos citam repasses supostamente realizados não só a Blairo, como também ao ex-secretário de Fazenda de Mato Grosso, Edmilson dos Santos, ao procurador do Estado João Virgílio Nascimento Sobrinho e ao procurador aposentado Francisco Lima Filho, o “Chico Lima”.

 

Autor: Midia News - DOUGLAS TRIELLI DA REDAÇÃO
Data: 20/04/2017
Noticias da Sessão: Politica
» Perícia da PF conclui que aúdio da conversa entre Temer e Joesley não sofreu edição
» Emenda da discórdia: Taques ignora polêmica e quer R$ 80 para dívidas da saúde
» Prefeita Thelma e vice Osmar vão a Brasília buscar recursos para estradas e pontes
» Oscar Bezerra participa da assinatura de acordos entre Governo Estadual, Federal e ONU
» Após reunião, PM garante ação estratégica no Sol Nascente e região
» Parcerias: Estado, ONU e agência federal fecham acordos para alavancar infraestrutura de Mato Grosso
» Primeira baixa: Pivetta se desfilia do PSB após retorno de Valtenir
» Botelho visita Hospital de Câncer e recebe reivindicações
» MP entra com ação contra Silval, Riva e Bosaipo por desvio de R$ 693 mil
» Gastos com publicidade: Justiça Eleitoral cassa mandato da prefeita Lucimar Campos
» Doleiro Lúcio Funaro diz que Temer sabia de propinas na Petrobras
» Governador Pedro Taques sofre mal-estar em SP e passa por exames após suspeita de pneumonia
» Mirou Paiaguás: Janaina: “Gostaria de ser a primeira mulher a governar o Estado”
» PF vê indícios de corrupção e pede mais 5 dias para concluir inquérito sobre Temer
» Congresso tenta manter votações na semana em que STF decide prisão de Aécio
 
Tempo
 
Copyright © 2008 Todos os direitos reservados ao NavegadorMT.