Cuiabá 19/04/2018
Busca:  
 Home
 Últimas Notícias
 Cidades
 Política
 Esporte
 Polícia
 Meio Ambiente
 Turismo
 Agronegócio
 Mundo
 Artigos
 Aúdio e Video
 Galeria de Fotos
 Quem Somos
 Fale Conosco
Tunel do Tempo
 
Aquecido "Triângulo da Lavagem"

 Denuncias
 Enquete


Meio Ambiente
Aquecimento global: Iceberg gigante está perto de soltar-se na Antártida

Segundo as estimativas do Instituto Antártico Argentino, a superfície que se desprenderá tem uns 5.900 quilômetros quadrados


 

Um grupo de cientistas argentinos comprovou que só faltam uns 20 quilômetros para que uma massa de gelo 30 vezes maior que a cidade de Buenos Aires se desprenda da Antártida para o mar, informaram hoje (21) fontes oficiais. As informações são da agência de notícias alemã DPA.

Os cientistas do Instituto Antártico Argentino (IAA) sobrevoaram a geleira denominada Barreira Larsen C, para registrar e analisar l evolução da fratura, indicou um informe realizado pelo Ministério da Defesa da Argentina.

Segundo as estimativas do IAA, a superfície que se desprenderá tem uns 5.900 quilômetros quadrados. O desprendimento de enormes massas de gelo alterará o nível da água do mar que as circunda, disseram os cientistas.

Preocupação

O fenômeno é seguido "com preocupação" pelos especialistas, que mencionaram a possibilidade de que a fratura e sua progressão esteja vinculada "às mudanças climáticas globais, ainda que não haja conclusões" a respeito, disseram.

A camada de gelo se encontra a uns 500 quilômetros ao sul da Base Marambio da Argentina na Antártida. Os cientistas argentinos sobrevoaram a zona durante mais de cinco horas e atravessaram o Círculo Polar Antártico.

Em fevereiro passado a glacióloga Daniela Jansen, do Instituto Alfred-Wegener de Investigação Polar e Marinha sediado em Bremerhaven (Alemanha), recordou que em 2002 outro iceberg se desprendeu da barreira Larsen C e esta "continua quebrando-se".

Longo percurso

"Quanto mais gelo se funde na água, mais aumenta o nivel do mar", agregou Jansen. Ela explicou que o novo iceberg gogamte poderá  deslocar-se por milhares de  quilômetros e percorrer a península Antártica, primeiro para o norte e depois rumo ao leste.

“É provável que a massa de gelo termine derretendo-se antes de chegar às Ilhas Geórgias do Sul, 1.400 quilômetros a leste da costa argentina, indicou Jansen.

 

Autor: O TEMPO
Data: 27/03/2017
Noticias da Sessão: Meio Ambiente
» Estudo aponta alta contaminação de peixes por mercúrio em todas as bacias hidrográficas do AP
» Cientistas revelam níveis tóxicos de arsênico em poços da bacia do Amazonas
» Brasil tem, sim, terremotos - e há na história registro até de tremores com 'pequenos tsunamis'
» Por que Brasil se opõe à Europa em corte de emissões de CO2 por navios
» Da China chegam boas notícias para o setor ambiental
» A estreita conexão entre fome, perda de biodiversidade e mudanças do clima
» A estreita conexão entre fome, perda de biodiversidade e mudanças do clima
» Mergulhador filma 'mar de lixo' em ilha vizinha a Bali
» Frio extremo na Europa contrasta com onda de calor no Ártico
» Infração ambiental: Irmão de Silval tem ação prescrita e se livra de multa de R$ 109 mil
» Ibama multa mineradora em R$ 20 milhões e embarga instalações no Pará
» A criativa solução da Noruega para acabar com o lixo plástico nos oceanos
» Itiquira: Fiscalização apreende 173 kg de pescado irregular
» Onda de frio extremo sem precedentes atinge o Canadá
» Deu no NYT: Brasil vacila sobre ambiente e Pantanal começa a encolher
 
Tempo
 
Copyright © 2008 Todos os direitos reservados ao NavegadorMT.